5.11.08

Sim, nós podemos?

Barack Obama é o novo presidente dos Estados Unidos. No primeiro discurso, fez muitos agradecimentos e lembrou do novo "cachorrinho que vai morar na Casa Branca" e lembrou da avó, que morreu recentemente.

"O lugar onde todas as coisas são possíveis". Assim, Barack Obama acaba de definir o país que irá governar a partir de 2009. Aqui do outro hemisfério, não posso deixar de me impressionar com o envolvimento da população americana nessas eleições. Mesmo sem a obrigação de votar, lá foram milhões de eleitores, cientes do papel que tinham que cumprir com o país. E, embora talvez nem se dêem conta, com todo o mundo.
A eleição de Obama representa um marco para a História contemporânea. É o primeiro presidente negro a governar o país mais poderoso do mundo, onde o racismo ainda dá sinais de resistência. E, além disso, é o homem que carrega nos ombros o peso de mudar os rumos que essa nação tomou ao longo da Era Bush.
Pra mim, Obama virou um pouco popstar demais. Mas agora, vendo ao vivo pela Globonews o primeiro discurso do novo presidente americano, não dá pra não torcer para que esse homem faça um bom governo. Para que honre seus votos, honre a confiança dos delegados que o escolheram nesse tão controverso sistema eleitoral americano; e honre, mais que tudo, a altura do passo que deu, hoje, para a criação de um mundo no qual o diálogo venha antes do estampido das balas; um mundo onde não se faça guerra em nome da democracia; e um mundo que não vire as costas para o cataclisma africano enquanto, milagrosamente, trilhões de dólares e euros são empregados para "salvar o planeta do caos econômico".
Porque o caos é muito maior do que parece. E não é apenas financeiro.
E, a partir de agora, Obama tem muito a ver com isso...
Postar um comentário