9.11.08

Kiki: a rainha do lar...


Esse pedaço de focinho escondido debaixo do sofá aqui de casa é de Kiki, a poodle neurótica que pensa que nós é que somos seus hóspedes. E, mais que isso: com o dever de acompanhá-la em tempo integral...
Kiki veio pra cá com menos de um mês. Cabia numa caixa de sapatos (infantis) e não ficava em pé. Não tinha dentes, tomava mamadeira e comia aquelas papinhas industrializadas. Tantos carinhos vindos de minha mãe, acho, fizeram a nossa mascote deduzir que é da família. Conclusão: não suporta ficar longe da "mamãe humana". Quando minha mãe, por qualquer motivo, precisa sair de casa, é um chororô terrível! E quando está em casa, nem se fala: é um grude danado! Onde minha mãe está, lá está a poodle maluquinha.
No momento da foto, minha mãe via televisão. E Kiki, bem...está do jeito que vocês podem ver: fiscalizando tudo embaixo do sofá...
Sem falar em outras manias dessa irmã de quatro patas. Fanática por batata frita, ela sabe quando a iguaria faz parte do cardápio do dia só pelo cheiro. E, pior, quando peço lanche num delivery qualquer, ela é a primeira a festejar! E se não dou o que ela quer, fica reclamando...com minha mãe! Enfim, uma autêntica caçulinha: mimada e fofoqueira!!!
Ter bicho em casa dá trabalho. Mas é muito engraçado também. E, mais que tudo, emociona a incrível capacidade que essas criaturinhas têm de demonstrar o amor e a necessidade de atenção. Nesses 8 anos de convívio, Kiki me ensinou muita coisa. E, sem dúvida, fez essa casa muito mais feliz...

E por aí? Alguém tem boas histórias de bicho pra contar?
Postar um comentário