31.12.09

Feliz Ano Novo!!!


Amem, riam, vibrem, beijem, trabalhem, gastem, poupem, comemorem, chorem...!
Tomem banhos de sol e de chuva, deitem no mato, olhem pro céu, vejam as estrelas...
Sintam o vento batendo na pele e o arrepio com o toque certo, da pessoa certa, no lugar certo!
Andem mais a pé que de carro, pratiquem esportes, comam coisas leves e compensem enfiando o pé na jaca de vez em quando!
Façam loucuras no sexo - com juízo e camisinha - e vivam loucos amores. Fiquem, namorem. Sejam sábios para perceber que o melhor sempre é a verdade e que, ainda assim, pequenas mentiras podem ser mais inteligentes - e corretas.
Gastem horas conversando com os amigos e não percam uma única chance de declarar seus amores. Abracem, afaguem, admirem. Contemplem a natureza e as belas realizações dessa nossa louca espécie. Dediquem tempo à arte, ao cinema, aos cuidados com o corpo e a mente.
Usufruam da vida. Aprendam. Errem. Acertem. Tentem!
Falem menos de si - e da vida dos outros. Troquem ideias e não alimentem fuxicos. Sonhem, mais e muito. Creiam na força das palavras, dos pensamentos e na energia. E agradeçam mais que peçam.

E tenhamos, todos, um FELIZ 2010!!!

O Mico do Ano 2009 já tem dona!!!

Não teve pra ninguém, turma! E confesso: quando abri a votação da enquete, imaginava que o título já tinha dona! E não deu outra! Com 50% dos votos, Vanusa faturou o Mico do Ano 2009. A inesquecível interpretação do Hino Nacional rendeu à cantora a honraria máxima do B@belturbo.

Em segundo lugar, outra loira: Xuxa Meneghel, que brigou com twitteiros pra defender a filha e termina o ano interpretando uma princesa nos cinemas, apesar de já ter idade (quase suficiente) para ser a Rainha-Mãe.
O terceiro lugar do pódio ficou com os parlamentares do Distrito Federal, flagrados enfiando dinheiro nos bolsos, nas meias e, depois, orando para agradecer aos céus pela propina deles de cada dia. Uma vergonha nacional e que, sinceramente, não tem graça nenhuma!


Obrigado aos que votaram nessa tradicional farra aqui do blog! E estejamos todos atentos porque, em 2010, certamente não faltarão micos por aí!!!

E vamo que vamo!!!

30.12.09

E agora, consumidor? Quem poderá nos ajudar???

Ontem, resolvi comprar um videogame. Evito citar marcas e griffes aqui, mas comprei o PS3, da Sony. No Barrashopping. E a busca pelo meu (tardio) presente de Natal rendeu...
Primeiro, fui procurar o produto na loja própria do fabricante. Lá você encontra tudo da marca Sony: TVs, filmadoras, DVDs, aparelhos de som...e etc. Nada mais lógico que encontrasse o tal console de videogame, certo? Errado! A resposta do vendedor:
- Ainda não temos pra vender. Só pra demonstração...
Saí da lógica tentando entender qual o sentido de demonstrar um produto que não está disponível para venda...
Enfim. Fiz uma bela pesquisa de preço e me decidi pelas Lojas Americanas. E antes que você suponha que isso é uma dica, CUIDADO! Enquanto pagava pelo meu videogame novinho, avistei um aviso afixado ao lado do guichê do caixa. Tratava-se de uma lista relativa aos procedimentos de troca. E lá pelas tantas, um item afirmava, categoricamente:
"NÃO TROCAMOS PLAYSTATION 3".
Como assim, cara pálida? Pode, em pleno século XXI, uma loja decidir que não troca um determinado produto, ainda que ele não apresente as condições desejáveis de funcionamento? E a Lei de Defesa do Consumidor? E o Procon? E a Justiça? O que dizem?
E o consumidor, como fica?
Achei absurda a cara de pau da loja de ainda anunciar esse tipo de posição. Uma afronta ao que determina a legislação e aos direitos do consumidor. Segui lendo e descobri que lá também não são feitas trocas de celulares da marca SAMSUNG. E fiquei me perguntando quais os critérios determinantes para que essas posições lastimáveis sejam tomadas por uma das maiores redes de varejo do país.
Algum palpite?

29.12.09

Vingança de...cabeleireiro??? 2

Deve ser algo cabalístico: há pouco mais de um ano, citei aqui no blog Cynthia Benini, apresentadora do Jornal do SBT. E eis que, no finalzinho de 2009, a moça ressurge no B@belturbo. E ela vem acompanhada de uma indagação.
Primeiro, veja a reprodução da tela da TV:

Agora, responda: Cynthia cortou o cabelo no salão do pombo? Sim, porque só um pombo pra fazer essa m3rd4 na cabeça da bonitona...

Ou não?

28.12.09

Olhando 2009 pelo retrovisor...

Revi as fotos que publiquei no orkut em 2009 e já senti uma pontinha de saudade do ano que se despede. Foi um ano intenso! De muito trabalho, de muita responsabilidade, de muito cansaço. Mas de muita diversão, de muitos momentos inesquecíveis ao lado dos amigos, de muitos sorrisos.
Esse 2009 foi um ano em que conheci muito. Muito de mim mesmo, do meu trabalho, das pessoas que amo. Conheci muitos lugares, muitas pessoas, muitos sabores, muitos sons, muitas sensações. Tive um texto meu publicado num livro pela primeira vez, engordei 10 quilos e - felizmente - eliminei todos eles. Vi a morte de um artista me tocar de uma forma que jamais poderia supor. E intuir. E só depois, notei o quanto aquele Rei estava perto de mim....
Andei por Madri e por Bangu. Passei pelos casarões da Lapa e pelas ruínas da Roma Antiga. Comi crepes em Botafogo e em Paris. E andei de metrô no Rio e em Lisboa...! Fiz muita coisa! Ouvi muita música, twittei demais, escrevi no blog - numa medida que sempre me parece insuficiente. Fui ao cinema, li livros, amei, desamei...amadureci. Aprendi mais da vida e do que significa viver...
Mas diria que, sobretudo, 2009 foi o ano em que aprendi o real significado da palavra esperança. E não foi buscando no dicionário - nem no Google. Conheci o que significa esperança ao descobrir, nesse ano, que uma pessoa muito amada tinha uma doença grave. Descoberta que, além de mexer com a minha fé, me fez esperar por uma boa notícia.
E é assim que terminarei esse ano. Mas já esperando que essa notícia boa já esteja se preparando para pipocar logo no comecinho de 2010... !
E que venha na companhia de muitas outras. Pra mim e pra todos vocês...

27.12.09

Celebridades, mídia e escândalos: um velho caso de amor...

Dia desses, meu chefe me mostrou um trailler de 10 minutos da minissério Dalva & Herivelto, que a Globo vai lançar em janeiro. Fiquei impressionado com a qualidade da produção e com o bom desempenho dos atores. E chegou a apostar que o lançamento tem tudo para repetir o sucesso de Maysa, exibida no começo desse ano.
Mas além do requinte da produção, outra coisa me chamou a atenção: a forma como os escândalos da vida pessoal dos protagonistas eram cobertos pela imprensa da época. Cobertura ostensiva mesmo, capaz de fazer cair por terra a ideia de que o jornalismo de celebridades é um fenômeno recente. Cada briga, cada separação, cada volta de Dalva de Oliveira e Herivelto Martins estampou páginas e páginas dos diários brasileiros, num exemplo claríssimo de onde começou a tendência que, décadas depois, Lady Di, Michael Jackson, Madonna, Amy Winehouse - entre tantos outros - experimentariam, como aliás bem sinaliza a campanha promocional da minissérie.
A razão do post? Nenhuma em especial. Só uma certa impressão de que a vida, os costumes, a cultura e, nós todos, de certa forma, estamos sempre nos repetindo. Ou reinventando um jeito de fazer algo que muitos já fizeram no passado.
Filosofei? Foi mal...

Sim, eu tenho leitores N'Avi...

Outro dia postei aqui a minha versão N'avi - não sem antes explicar que não se tratava de um belo exemplo. E pedi, ainda, que os leitores do blog enviassem suas versões azuizinhas para a HotLine do blog.
Então, senhoras e senhores, aí vai a versão N'Avi da leitora Amanda Hora:

Amanda, relaxe! Em Pandora, beleza não é fundamental...rs!

26.12.09

Da série: "a pergunta que não quer calar..." 77

Quem anda pelo Twitter sabe que muitos famosos dão as caras por lá. Entre os brasileiros, um dos twitteiros mais atuantes é William Bonner. Sob a alcunha de @realwbonner, o apresentador e editor-chefe do Jornal Nacional faz comentários sobre o trânsito, conversa com os admiradores e promove algumas interativas - um tipo de enquete - que já definiram, por exemplo, a cor da gravata a ser usada por ele no telejornal mais assistido do país. Ou seja: Bonner twitta muito! Antes, durante e depois do Jornal Nacional.
Diante disso, eu pergunto: o que faz Fátima Bernardes enquanto seu esposo twitta por aí?
Alguém tem um palpite?

PS.: Ok, eu tenho uma aposta: ninguém me tira da cabeça que enquanto ele twitta, ela cuida da fazendinha no Facebook...

25.12.09

Descobertas de Natal...

Acho que em toda casa é da mesma forma. Dia 24 de dezembro, enquanto os ponteiros do relógio não chegam à meia-noite - sim, na minha família a gente só come quando já é dia 25! - todo mundo fica ali, tentando esquecer a fome com um baita papo furado. E essa é uma chance de ouro de se inteirar das novidades depois de um ano sem muito tempo pra estar próximo das pessoas que a gente ama.
Foi numa dessas que, lá pelas tantas, eu descobri que uma tia deixou de ver novelas. Não assiste mais filmes nem seriados. Só vê telejornais e...combates! Sim, amigos: minha tia, a típica mãe de família classe média, mudou sua rotina: depois do jantar, toma banho, vai para o quarto e passa horas relaxando (?!?!?) enquanto vê uns homenzarrões se digladiando diante das câmeras de TV.
Assumo: fiquei espantado com a escolha. E perguntei se os tais combates não a deixavam nervosa, uma vez que ela vê as tais lutas antes de dormir. A resposta?
- Nada! Fico é calminha! Aquele bando de babaca dando a cara pra bater em troca de dinheiro? Eu quero é mais! E tem uma coisa: não torço pra ninguém: quero mais é que eles se batam bastante!!!
Tempos modernos, não?
E você? Tem descobertas de Natal pra dividir?
Comentaê!!!

24.12.09

Feliz Natal; Merry Christmas; Buon Natale; Hyvää Joulua; Joyeux Noël; Feliz Navidad; Crăciun Fericit; Frohe Weihnachten; عيد ميلاد مجيد

Há 2009 anos nasceu alguém que sonhou com um mundo melhor. Alguém que passou pelo planeta espalhando mensagens de amor, paz e bem. Alguém que amou a todos e a todas as coisas e que via nesse amor entre os humanos a única saída para uma vida plena e verdadeiramente feliz.
A mensagem desse aniversariante, pra mim - que estou longe de ser um exemplo - pode ser resumida assim: ame! Quem ama cuida, protege, respeita, ajuda, perdoa. Quem ama é mais humano...
Portanto, meus amigos, desejo muito amor a todos vocês e aos seus familiares! Que essa seja uma noite de amor, de alegria, de saúde e de paz. E que o aniversariante do dia possa abençoar todos os que estarão reunidos em volta da mesa à meia-noite.

Feliz Natal!

Uma véspera de Natal no shopping...

Deixei minhas compras pra véspera de Natal e lá fui eu. Estranhei porque o maior shopping da Barra não estava tão lotado - ao contrário do que as reportagens de TV mostraram nesse início de noite. Sem tanto tumulto, a missão foi bem mais tranquila do que eu podia imaginar...
Pois bem. Primeiro, entrei na loja da minha operadora de telefonia celular. Expliquei que estava interessado numa oferta feita pela Central de Atendimento e a moça usou TODOS os argumentos para que...EU NÃO ENTRASSE NA LOJA! Isso mesmo! Disse que os sistemas eram diferentes, que não poderia igualar a prosposta feita pela central telefônica, que os preços na loja seriam menos convidativos e desfiou um rosário de justificativas para me convencer a não entrar na loja. Risonho e límpido, fiz cara de impávido colosso e, depois de ouvir tudo o que a jovem tinha a dizer, coloquei a mão no ombro dela e disse:
- Está ótimo! Mas eu quero MUUUUUITO saber quais as condições que vocês me oferecem!
Peguei minha senha e entrei. Sabem por quê? Porque sou brasileiro e não desisto nunca!!! E, sobretudo, porque eu prefiro SEMPRE tomar minhas próprias decisões.
Depois de ser antendido e de comprovar - por minha vontade - que as ofertas não eram mesmo tão generosas, deixei a loja - não sem antes desejar um Feliz Natal à atendente. Entrei em outro estabelecimento para escolher um modelo de óculos escuros. O vendedor veio todo sorridente e respondeu ao meu corriqueiro boa tarde com uma risada de quem tinha acabado de ouvir a melhor das piadas. E logo me perguntou o que eu buscava na loja. Ao dizer que queria escolher um par de óculos, ele se saiu com a pérola:
- Masculino, feminino ou...pra você mesmo?
Fiquei em silêncio por alguns segundos. Encarando o sujeito. Na verdade eu tentava entender a lógica de tal indagação. E, depois da breve pausa, olhei pra ele e perguntei:
- E, por acaso, pra mim não seria o masculino???
O sorriso sumiu do rosto do cara num piscar de olhos. Ficou sem graça e eu pude ouvir o barulho da ficha caindo dentro daquela cabeça ôca. Ele tentou argumentar:
- Sim, mas é que poderia ser pra presente...
- Exato, mas ainda assim só seria masculino ou feminino. Certo?
Foi quando outro vendedor, tão jovem quanto, mas com mais jeito pra coisa, pediu desculpas e seguiu em frente com o atendimento. Eu relativizei, disse que não tinha sido um problema, mas foi evidente que a estranha abordagem não pegou bem para o vendedor ex-sorridente. Que, honestamente, espero que não seja também agora um ex-vendedor...
Trabalhar com vendas é punk. E em dias como o de hoje, mais complicado ainda. Mas não custa dizer que simpatia e sagacidade são condições fundamentais pra desempenhar bem a função. E isso, felizmente, não faltou à moça que me atendeu numa terceira loja. Comprei tudo o que queria com ela mas, infelizmente, não consegui decorar seu nome. Sabe como é, né? Os pais da moça certamente são daquele tipo que dá asas à criatividade na certidão de nascimento dos herdeiros...

23.12.09

Tempo apressado...

Hoje, logo ao acordar, pensei nessa pressa que o tempo tem. Porque acho que não há no mundo quem conteste o fato de o tempo ser um sujeito muito apressadinho. Por isso dizemos que ele não anda, voa. E que ele sempre passa, nunca para...
E passa muito rápido!
Hoje, logo ao acordar, pensei em tudo isso. O motivo? Há exatos 15 anos a minha turma do ginásio se formava. Sim, naquela época se dizia ginásio. E, sim, foi um dos momentos mais marcantes de toda a minha trajetória escolar. Primeiro, obviamente, pela alegria de concluirmos aquela etapa. Segundo, porque era uma despedida entre amigos que jamais voltariam a conviver e a ser próximos como naquele tempo - coisa que só imaginávamos, e que o passar dos anos confirmou - e, terceiro, porque batalhamos cada centavo para que a festa rolasse do jeito que gostaríamos que ela fosse.
Um jeito simples, mas que foi o nosso jeito!
Hoje, logo ao acordar, ouvi o barulho do tempo passando. Me olhei no espelho e vi um cara muito diferente do garoto de 14 anos que ainda engatinhava pela estrada da vida. O espelho me mostrou um cara já marcado pelo tempo e pela quilometragem rodada na tal estrada. Mas fiquei feliz ao ver que, mesmo com os efeitos dessa erosão cotidiana que nos afeta a todos, conservei traços daquele moleque. E um deles é esse: não ter vergonha de dizer e de me emocionar com o que sinto.

E lá se vão 15 anos. Parece que foi ontem...

Natal, tradições, álcool e perus alcoolizados...

Diz a lenda que, antigamente, os nossos antepassados davam aquele porre na ave para, depois que ela estivesse na melhor vibe Winehouse, passar o facão e garantir o assado da ceia. Hoje, vocês sabem, esse procedimento deveras rudimentar não se faz mais necessário. Até porque, muita gente já come peru bêbado durante o ano todo, antes, durante e depois das nights e baladas da vida. Outro motivo que explica a abstinência do peru na noite de Natal é o crescimento da preferência por aquela ave grandona, que ninguém nunca viu ciscando por aí, e cuja procedência permanece mais misteriosa que a fórmula da Coca-Cola.
Enfim, estou a divagar. Fato é que essa foto abaixo me fez pensar nas tradições natalinas...
Passando pela Cidade de Deus hoje cedo, fiz esse flagra. Festão, hein? Dizem lá na comunidade que Papai Noel até já preparou um trenó com renas à prova de bafômetro, pra não dar mole pro povo da Lei Seca! E pela observação em vermelho no rodapé da faixa, dá pra sacar que, em vez de brinquedos, o Bom Velhinho virá esse ano com um saco etílico. Se vier sacolejando pelo caminho, as batidinhas tão garantidas pro povo da CDD nesse Natal...

22.12.09

Da série: "Versos e versões..." 5

Entrando no embalo da Beyoncé, veja a mais nova pérola da MPB:


É tão ruim, mas tão ruim que...chega a ser péssimo!
Ou não?
PS.: A descoberta chegou a mim via Twitter. Quem descobriu essa foi @pretamaria

21.12.09

Na cabeceira: Marilyn e JFK...

Agora que a vida voltou a um ritmo mais tranquilo, pude, finalmente, voltar a ler diariamente. E a escolha - feita na última noite - parece bem acertada: Marilyn e JFK, de François Forestier, já começa num ritmo de thriller, com uma descrição precisa do assassinato de John Kennedy, em 1963.
Comprei o livro na bienal, interessado pelos bastidores de um dos mais tórridos e explosivos casos de amor da história recente. E, até aqui, o texto sagaz de Forestier não dá pistas de que vá me decepcionar.


E vocês, hein? Andam lendo o quê?

Avatarize yourself!

Segui a dica de Rosana Hermann e fiz meu Avatar. O resultado, vou logo adiantando, não foi lá muito animador:


É por essas e outras que decidi: nada melhor que ser um simples terráqueo!!!
Para fazer o seu, clique aqui. E se quiser dividir o momento com a turma toda do B@belturbo, envie seu avatar para a HotLine.

Da série: "a pergunta que não quer calar..." 76

Dei uma olhada na home da Globo.com e me deparei com a seguinte chamada:

Já repararam que todo ano, nessa mesma época, esse tipo de história se repete. Anotem: a cada fim-de-semana o mesmo "fato" estampará capas de jornais, sites e etc. Diante dessa constatação, pergunto-vos: isso ainda é notícia, minha gente?

A difícil hora de dizer adeus...

Não é qualquer um que tem a coragem de partir. Largar tudo pra trás, apostar no que há de vir e...ir. Ir para o novo, para o desconhecido, para o incomum. Levar pouca bagagem e muitas memórias. Levar promessas, juras, e motivos de sobra para chorar quando a dor da saudade se mostrar insuportável.
Admiro quem tem essa coragem e não sei se seria capaz de uma atitude assim. Talvez eu seja da espécie que fica no cais, acenando e torcendo por mares tranquilos para os que estão nas naus que partem. O que não faz a missão exatamente simples mas, sem dúvida, deixa as coisas muito mais cômodas.
Essa semana, um conhecido vai se lançar ao mundo. Vai viver a vida, desbravar novas trilhas, buscar novas formas de ser e de estar nesse planeta maluco. Nós nos reunimos para a despedida que, esperamos todos, seja um até breve. Vi lágrimas nos olhos de muitos dos seus amigos mais próximos e lembrei de como é difícil dizer adeus aos que gostamos. Mas, algumas vezes, é o que há pra ser feito. Resta torcer para que o tempo passe rápido e para que a vida se empenhe em sorrir para todos. Pra os que estão no cais e para os que cruzam os mares desconhecidos...

Avatar lembra: cinema é a maior diversão!

Ficção científica escrita e dirigida por James Cameron chega aos cinemas com forte mensagem ecológica e cativa até mesmo quem não é fã do gênero...


Um novo planeta, habitado por criaturas azuis e ameaçado pela voracidade dos humanos, interessados nas riquezas minerais escondidas sob o solo extraterrestre.
Um povo conectado à natureza, a todas as formas de vida, que respeita, preserva e ama o seu território. Que entende a vida como um todo em harmonia, em equilíbrio.
Essas são duas formas de contar a história de Avatar, o blockbuster de James Cameron que chegou para lotar os cinemas nesse final de ano. Mas assumo: as duas deixam muito, mas muito a desejar!
O filme merece mesmo todas as reverências. E, notem bem: quem escreve aqui está longe de ser um adepto das histórias de ficção científica. Estrelado por personagens desenvolvidos por meio de modernos softwares de animação, Avatar tem como um de seus principais méritos o fato de resultar humano na telona. Quando olhamos as gigantescas criaturas azuis no início do filme, há um certo estranhamento. Mas dura pouco: logo estamos identificados com suas emoções e, claro, torcendo a seu favor.
Se para muita gente o maior barato de Avatar está nos efeitos visuais - realmente excepcionais! - na minha opinião o filme tem no roteiro seu pilar mais sólido. James Cameron foi criativo sem resultar viajandão ao desenvolver a saga que já levou milhões de pessoas aos cinemas em todo o mundo nesse final de semana de lançamento. E soube buscar um diferencial para falar de um dos assuntos mais recorrentes hoje em dia: o total descaso do ser humano com o planeta.
As cenas de ação e as paisagens virtuais são impressionantes! O elenco convence - e os atores virtuais representam tão bem quanto os de carne e osso. E a trilha sonora - com forte influência indígena - pontua muito bem as sequências do filme.
Avatar vale o ingresso. É cinema no melhor estilo maior diversão.
Eu recomendo!

18.12.09

Richarlyson e cabeleira da discórdia...

Pra começar, serei sincero: dei uma sacaneada no novo visual do Richarlyson assim que fui avisado do novo visual do atleta. Fiz uma piada no Twitter sobre a declaração do atleta de que, com o novo cabelo "iria ajudar a equipe a conquistar títulos em 2010". Como cabelo e gol não estão tão relacionados, debochei. E não me arrependo, afinal, se cabeleira ganhasse título, a sala de troféus do time do Valderrama estaria superlotada! Por conta da história, avisei aqui no blog que Richarlyson entrou para a lista de finalistas do Mico do Ano 2009, como você pode constatar na enquete aqui ao lado.
Isto posto, eu me senti obrigado a escrever sobre as declarações de um dirigente do São Paulo, publicadas em reportagem do portal R7. Na matéria, o cartola tricolor se diz preocupado com as possíveis reações de parte da torcida diante do novo look adotado pelo jogador. Ok, não sejamos puritanos: há gente muito maluca e não pode ser desconsiderada a hipótese de que alquém tente agredir o sujeito por causa das novas madeixas. Coisa de torcedor pseudo-machão. Ou, se preferirmos, de trogloditas preconceituosos. Ou ainda: de gente babaca mesmo!
Mas o que mais me causou estranheza foi o dirigente são-paulino insinuar que, na volta ao clube, depois do recesso, Richarlyson pode ser obrigado a cortar o cabelo. Olha o que o cara declara: "O São Paulo é rígido no ambiente de trabalho e temos uma cartilha de comportamento e normas que os jogadores devem seguir.".
Pergunto: o que o cabelo do atleta tem a ver com "rigidez no ambiente de trabalho" e com "comportamento"? Impressão minha ou esse cartola foi tão preconceituoso na declaração quanto os torcedores que ele diz temer?
Turma, na boa: uma coisa é encarnar no Richarlyson porque ele deu uma declaração boba sobre o novo visual. Uma coisa é rir porque a cabeleira não ficou exatamente um primor. Outra coisa, e bem mais séria, é julgar o profissional por essa atitude. Portanto, hipocrisia deixada de lado, esse jogador está, sim, sendo discriminado por um bando de gente atrasada que acha que esse cabelão não está alinhado ao mito de que futebol é coisa pra macho. E isso é vergonhoso!
E não é a primeira vez que isso acontece com esse atleta do São Paulo. Há pouco mais de dois anos esse tipo de polêmica também era assunto aqui no blog.
E você, o que acha?
Comentaê!!!

Vestiário masculino...

Cheguei à academia correndo e fui direto trocar de roupa. Dentro do vestiário, enquanto me visto, ouço o papo entre dois funcionários da limpeza. A conversa era sutil. E em alguns momentos, beirava a poesia. Como quando um deles, dono de um inconfundível sotaque gaúcho, declamou:
- Óxente, rapá! Mas eu tô tão ruim da barriga que tá arriscado a comer um prato de pedra e c4g4r água pura de novo!
Ouvi tão belo relato e, na hora, decidi postá-lo. Acompanhado da dúvida: o que significa o adjetivo "pura" nessa frase?

Por favor, JAMAIS me ofereçam água pura doravante, ok?

17.12.09

Da série: "a luz no fim do túnel é um trem vindo pra cá..." 39

Crimes envolvendo crianças sempre são chocantes, e não tem sido diferente em relação ao caso do garoto que teve mais de 40 agulhas introduzidas em seu corpo. Sem cicatrizes ou hematomas, a criança está em estado grave. O ex-padrasto já confessou a autoria do crime, que a polícia trata como tentativa de homicídio.
Ontem, enquanto aguardava pra ser atendido numa clínica, o assunto era esse. O clima era de espanto. E a auxiliar da minha dermatologista levantou a hipótese de que o caso envolvesse algum tipo de ritual macabro. E pela notícia que que li, há mesmo indícios disso.
Respeito a fé e a pluralidade de cultos e crenças. Mas não dá pra aceitar que uma criança passe por esse tipo de tortura em qualquer ritual que seja!
Absurdo!

16.12.09

Viver a Vida segundo o B@belturbo 2...

Não vejo a novela das oito há tempos. Mas não é de hoje que estou interessado em colaborar com Manoel Carlos escrevendo um pedacinho que seja da saga de Helena. E como o estilo do autor muito me instiga, eu busco adotá-lo em mais essa modesta sugestão de capítulo para Viver a Vida. Notem que, dado o andamento da história, o ritmo já está frenético...



Externa. Búzios. Giovanna Antonelli conversa com sua filha. E a garota, com inequívoca vocação para a cafetinagem, sugere que a mãe dê em cima (debaixo e do lado) do tal argentino que era do elenco de apoio e foi promovido. (ÕBS.: Desculpe, produção, mas não guardei o nome do personagem). Corta. Clipe com imagens de Búzios. Toca Shimbalauê, de Maria Gadú. (OBS2.: MAS TEM QUE SER O REFRÃO, POIS TODA POESIA DA MÚSICA ESTÁ NESSES VERSOS!!!). Helena caminha à beira-mar. Cabelos esvoaçantes. Ela acaricia o ventre lembrando do bebê que foi despejado dali pela natureza. Close up. Uma lágrima furtiva escorre por sua face. Zé Mayer se aproxima, seca a lágrima e diz, também em close up, que a ama. Beijo apaixonado.



Roda vinheta.



Interna. Casa de Lília Cabral. Na cozinha, as criadas reclamam que o clima na casa está pesado. Gritos invadem o cômodo e todas correm para ver o que há. Chegam à sala e se deparam com Lília tirando o cinto e ameaçando a filha-malvada. Corta. Interna. Hospital. A médica japa se queixa com uma figurante qualquer que perdeu o doutor-bom-moço pra filha-malvada de Lília Cabral. Maria Luísa Mendonça chega de repente e sugere que basta comer um enfermeiro qualquer pra esquecer do doutor-almofadinha. Corta. Interna. Casa de Lília Cabral. Assustadas, as empregadas seguram a patroa para conter seu ímpeto violento. Close up em Lília com ódio no olhar. (OBS.: Atenção, direção: pode ser aquele mesmo olhar de ódio que ela fazia em Páginas da Vida. Vai ficar ótimo!). Corta. Externa / noturna. Leblon. Thiago Lacerda e o marido de Fernanda Lima correm na orla. Passa uma figurante gostosona e os dois olham pra retaguarda da moça e, em seguida, caem na gargalhada. Mas seguem correndo. Corta. De longe, sentada num quiosque, Bárbara Winehouse Paz enche um coco de vodka e finge viver uma fase natureba.



Intervalo.


Interna. Casa de Lília Cabral. As empregadas dão tudo de si para conter a patroa, mas Lília solta o pitbull que mora dentro dela e distribuiu fartas doses de cinturadas em todas: na filha malvada e nas duas criadas. Bate com força, tirando sangue. Até o cinto rasgar. Quando o cinto rasga, ela chuta as três, já desfalecidas sobre o carpete da sala. Bate até cansar. Depois, aflita, tem uma crise de nervos e cai aos prantos. (OBS.: Atenção, direção: ela pode chorar com a mesma cara que chorava depois de apanhar do marido em A Favorita. Vai ficar ótimo!). Vamos sonorizar a choradeira com a música da Nana Caymmi? Acho que Shimbalauê não cai bem aqui...



Intervalo.



Helena e Zé Mayer chegam em casa. Alinne Moraes está deitada. Enquanto Helena e Zé Mayer tentam dormir, Alinne grita o tempo todo, pedindo coisas mil. (Atenção, direção: vamos dar um toque em Alinne pra que ela controle sua bocarra nessas cenas. É grande demais e fica parecendo que ela vai engolir o telespectador a qualquer momento). Helena vai até o quarto de Alinne Moraes e, com lágrimas nos olhos, aplica uma injeção de Lexotan na mala da enteada. Alinne tenta gritar, mas Helena a sufoca com um travesseiro. Corta. Externa/noturna. Leblon. Uma ambulância retira Bárbara Winehouse Paz da mesa do quiosque. Ela parece bêbada. Dentro da ambulância, seduz o enfermeiro e ele concorda em substituir o soro por uma garrafinha de vodka na veia. (OBS.: Bárbara, sei que pode ficar repetitivo, querida, mas será bacana que você apareça sempre bêbada. Talvez, assim, o povo creia que você também não estava sóbria quando ficou com o Supla na Casa dos Artistas, ok?). Corta. Casa de Helena. Toca a campainha. Zé Mayer abre a porta e vê Lília Cabral. Ela tem ódio no olhar. Empurra o galã-senil e vai até o quarto de Alinne Moraes. Arromba a porta com um chute e vê Helena aplicando a injeção em Alinne. Lília tira o cinto e, quando se aproxima de Helena, é surpreendida quando a mocinha saca de dentro da cabeleira um facão.



Depoimento de alguém "bem sofrido" encerra o capítulo.


Que tal???

A bagagem de um esquecido...

Ontem conversei longamente com alguém de quem não lembrava o nome. Não foi a primeira experiência desse tipo e essa reincidência me rendeu um certo know how. Foi exatamente esse savoir-faire que me impediu de, num dado momento, chamar o interlocutor pelo nome. A importância disso? Acabo de descobrir que chamaria o sujeito pelo nome errado!
Alguém aí tem dicas de como proceder em situações desse tipo??? Sabe como é, eu me saí bem ontem, mas sempre é bom ter cartas na manga...

14.12.09

A lógica do Natal...

Quem tem filho ou criança pequena na família sabe que essa época do ano é infernal: bombardeadas por propagandas de brinquedos, as crianças enlouquecem na hora de decidir o que pedir ao Papai Noel. Geralmente, optam por lançamentos caríssimos, distantes milhões de quilômetros da dura realidade do 13° do papai de verdade. Mas nada de se voltar contra a meninada: nós também agimos assim, lembram?
Pois bem, era exatamente sobre isso que uma amiga falava hoje. Sua filha tem três anos e escolheu como mimo de Natal uma boneca que fala. E mais: que fala 80 palavras!!! Pesquisando para saber se o Bom Velhinho teria recursos para ser tão bom com a menina, minha amiga ficou chocada ao descobrir que a boneca falastrona custa quase quinhentas pratas! Um preço pra deixar qualquer um sem voz! Sem querer decepcionar a filha, minha persistente amiga empreendeu uma grande pesquisa de preços e descobriu, num desses confins da internet, uma boneca meio genérica que fala 50 palavrinhas e custa bem menos que a linguaruda dos sonhos da pequena criança. Decidida, fechou o negócio e levou a boneca um pouco menos extrovertida para casa. Será o presente da garota...
O detalhe é o argumento usado por minha amiga para justificar o corte no orçamento do Papai Noel:
- Pra quê eu vou gastar uma fortuna numa boneca que fala 80 palavras se minha filha só sabe contar até 10???
Lógica pura, minha gente!!! Ou não?

13.12.09

Dois anos de muita saudade...


Por mais que amadureça, por mais que o tempo abrande dores e sentimentos, a vida tem me mostrado que há lacunas que jamais conseguiremos preencher. Como é a sua ausência, vó.
Hoje faz dois anos e ainda sinto o peito apertar de tanta saudade. Saudade de rir contigo, de ouvir tua voz e as histórias deliciosas da sua época de criança. Saudade de zombar do seu apetite com as mangas e de te olhar admirando sua força e sua doçura. Saudade de te pedir a benção e me sentir verdadeiramente abençoado por você.
Saudade de comer seus salgadinhos sem igual e de gargalhar das receitas que, na prática, não se concretizavam do jeito que você planejava. Saudade de andar de braço dado contigo, de tomar banho de mar cuidando de você como quem cuida da mais preciosa das pedras preciosas...
Agora, vó, você mora dentro de mim. Te guardo no peito e nas memórias que tive a sorte de acumular no tempo em que você esteve aqui com a gente. E sei que minha pedra mais preciosa virou uma estrela para emprestar seu brilho ao céu. Mas confesso: há dias, como hoje, em que só queria ter você um pouquinho mais aqui por perto, pra poder te encher de beijos e deitar no teu colo.
Sonho do menino que teve a sorte de ter uma vó tão maravilhosa como você sempre por perto...

Sobre o Nove + 1 de Ana Carolina...

Ana Carolina tem um talento incontestável. E também não se pode negar a irregularidade de sua discografia. Autora de belas canções e baladas inesquecíveis, a mineira derrapa com certa frequência na gritaria e na produção de versos quase incompreensíveis, como os de Elevador e Rosas. Sem falar em sambinhas gostosos como Cabide, dado a Martinália...
Pra mim, o saldo de Ana é positivo, embora não tenha comprado os dois últimos lançamentos da artista.
Mas na sexta, ao entrar numa megastore, eu me deparei com um novo lançamento: Nove + 1, pelo selo Multishow Registro. Disponível em cd e dvd, a novidade de Ana Carolina vem para celebrar os 10 anos de carreira da artista. Não resisti e comprei! E fiz um bom negócio!
A produção do dvd é irretocável! Gravado num casarão do Alto da Boa Vista, no Rio, o vídeo tem fotografia, cenografia e iluminação belíssimas, que fogem da obviedade do registro no palco ou no estúdio - um desejo revelado pela cantora já no making of. Mas de nada vale uma bela embalagem se o conteúdo não for dos melhores e, também nesse quesito, Ana não deixou a desejar: recrutou um time de primeiríssima para dividir as canções do repertório: Bethânia, Gil, Roberta Sá, Angela Ro Ro, Luiz Melodia, Seu Jorge, Maria Gadú e Zizi Possi são os destaques.
Já na primeira audição do cd, ainda no carro, voltando pra casa, fui fisgado pelos sambinhas. Cabide Ana canta com Luiz Melodia. É um registro malemolente, malandro, bem no clima da letra. Gostoso de ouvir. Milhares de Sambas, de letra muito bonitinha, ganha muito charme com a presença luminosa de Roberta Sá - num dos melhores momentos do disco. Gilberto Gil canta seu Torpedo com Ana, numa gravação também alto-astral, embora o samba não me contagie muito.
Com Angela Ro Ro, Ana reafirma seu desejo por Homens e Mulheres com uma mistura de bolero e tango, em outro bom momento do projeto. Tá rindo é? marca a volta da parceria de sucesso da mineira com Seu Jorge, em mais um sambinha gostoso de ouvir, com letra que parece traçar uma crônica do cotidiano. Com Bethânia, Ana divide Eu que não sei quase nada do mar, composta para a baiana. O dueto é correto, mas não chega a envolver. Talvez pelo fato de ambas já terem cantado muito a canção em projetos recentes. Uma dose de frescor na escolha da canção a ser divida com Bethânia teria sido salutar...
E dois dos meus momentos preferidos do disco são as baladas. Zizi Possi é saudada por Ana Carolina no making of do dvd por ter feito o registro definitivo da bela Ruas de Outono, que ganha muito com a interpretação delicada e certeira de Zizi. O encontro das duas na canção é realmente muito sensível. Com a revelação Maria Gadú, Ana Carolina divide um blues, Mais que a mim, bem bonito e inspirado - com as duas cantando lindamente - embora, se eu pudesse escolher, teria optado por menos arroubos vocais nos refrões. Arroubos que não chegam a tirar a beleza do dueto e da música.
Nove + 1, na minha opinião, é um acerto na discografia de Ana Carolina. Até mesmo por representar uma fuga da obviedade que seria lançar um dvd com seus grandes sucessos gravados ao vivo.
Recomendo!

12.12.09

Aberta a votação para o Mico do Ano 2009!

Sim, caríssimos, já está no ar a enquete que vai definir o vencedor do prêmio Mico do Ano 2009. São 15 postulantes à honraria, escolhidos a partir dos comentários dos leitores no post que abriu a seleção, na semana passada. Há também indicações deste humilde blogueiro, sempre atento aos micos.
A novidade é que, dessa vez, os eleitores poderão selecionar mais de um candidato por voto. Mas pense bem: a eleição é séria e os observadores da ONU estarão atentos a eventuais ameaças ao processo democrático. E, claro, a nossa meta é escolher UM(A) vencedor(a) para o prêmio.
O resultado será divulgado no próximo dia 31, quando saberemos quem se juntará à galeria de premiados com o Mico do Ano. No rol de agraciados com a homenagem, estão o Padre Baloeiro (vencedor em 2008), Hugo Chávez (que faturou em 2007) e Daniela Cicarelli (premiada em 2006).
Portanto, mãos à obra e bora votar!!!

O gabarito...

A gente erra pra aprender a acertar. Há também erros que se revelam acertados. Viver é a maior e a mais complexa das experiências e nós, ao mesmo tempo cientistas e cobaias, nos indagamos a todo instante o segredo da fórmula do viver bem. Quais elementos, somados, resultam na felicidade? Qual a alquimia do amor eterno?
Respostas que nunca virão, hipóteses que jamais serão checadas no gabarito da vida. E que atire a primeira pedra quem nunca pensou nos rumos que a vida seguiria se um passo de nossa caminhada tivesse levado à outra rota...

Richarlyson, cabeleira e o Mico do Ano...

Recebi o aviso ontem, via Twitter, do coleguinha @raphaelcrespo. Fui averiguar e não deu outra: o meia são-paulino Richarlyson surgiu no páreo com tudo pra disputar o prêmio do B@belturbo. O motivo? O atleta colocou aplique nos cabelos e se justificou, alegando que o novo penteado vai "elevar a autoestima e ajudar os companheiros a ganhar os títulos necessários para a próxima temporada".
Se você ainda não viu, aí vai o novo layout de Richarlyson:
Agora, alguém aí me explica como essa cabeleira pode ajudar o time a vencer em 2010? Pode até não atrapalhar, mas daí a dizer que ajuda é meio puxado, hein? Ou será que Richarlyson quis dizer que tem, agora, força na peruca???

É ou não é um forte candidato?

11.12.09

Jobson, do Botafogo, rende piada na capa do Meia Hora

Vamos aos fatos: Jobson, jogador do Botafogo, foi pego no exame antidoping. O exame revelou que substâncias encontradas na cocaína estavam presentes no organismo do atleta. Diante do acontecido, o Meia Hora dá o seguinte destaque em sua capa de hoje:

Sutil, né?

Mas ninguém pode negar o talento dessa equipe para fazer trocadilhos e arrancar graça de assuntos tão delicados quanto esse...

Pra pensar...

Não tenho o hábito de publicar textos de outros atores aqui no blog. Mas hoje, navegando, esbarrei em Ruy Barbosa. E não resisti à atualidade do pensamento do mestre. Compartilho com vocês:

"De tanto ver triunfar as nulidades; de tanto ver prosperar a desonra, de tanto ver crescer a injustiça. De tanto ver agigantarem-se os poderes nas mãos dos maus, o homem chega a desanimar-se da virtude, a rir-se da honra e a ter vergonha de ser honesto.".

Vai dizer que não é verdade?

Chegou a era do rádio digital?

Ontem, a caminho da TV, todas as emissoras de notícias em FM foram simultaneamente para os comerciais. Zanzando pra lá e pra cá, parei numa estação jovem: a Beat 98 - que, no meu tempo, era apenas 98 FM.
Pois bem, o locutor falava sem parar - naquele típico estilo de locutor de FM jovem: animado, empolgado, antenado...e, de repente, eis que ele começa a mandar calorosas saudações para os ouvintes. Até aí, dirá você, tudo bem. Certamente, estaria tudo bem se a saudação em questão não fosse uma...dedada!!!
Sim, você leu certo! O cara bota a boca no microfone e dispara: "Aê, fulano de Padre Miguel, uma dedada pra você!". "Beltrano, teu primo tá te mandando uma dedada caprichada!". "Cicrano, sente a dedada que tô mandando aí pra Inhaúma!".
Juro que não sou nada careta, mas fiquei meio impressionado com o tal cumprimento. Não bastasse o absurdo dessa gíria esquisitona, o locutor ainda colocava no ar algumas vinhetas que tornavam a situação ainda mais maluca. Uma delas, simulando uma raivosa reação à tal dedada, tem como texto: "Ai, caramba! Pelo menos corta a unha da próxima vez!".
É engraçado? Não sei. Como o programa não tem o patrocínio da Sociedade Brasileira de Proctologia, achei a história meio non sense. Achei over, grosseiro.
Estou ficando velho?
E você, o que acha?

Comentaê!!!

Da série: "a pergunta que não quer calar..." 75

Serei breve: alguém tem alguma explicação razoável para o fato de o ex-nadador Xuxa, um dos peões do reality show A Fazenda, da Record, ter manipulado o pênis do cachorro-mascote do programa???
Aliás...desculpem por enfiar outra pergunta no post, mas...o que o Xuxa foi fazer nesse programa, hein?

De novo sobre Cinquentinha...

Ainda estou gostando da série, mas acho que o ritmo já deu uma reduzida. Acho que a coisa tá, agora, mais pra novela das sete - com sacanagens que seriam impróprias pro horário - e menos pra séries americanas. Mas já dá pra apontar, sem medo de errar, um destaque no elenco: Betty Lago, que foi escalada aos 47' do segundo tempo, roubou a cena e é a melhor das cinquentinhas. Não há uma cena que ela desperdice, sempre deixa sua marca e mostra que, apesar da correria, soube construir bem a sua hippie tardia. Bem bacana!
E vocês? Curtindo também?

Jornalismo ou realismo fantástico?

As notícias bizarras se tornaram um grande filão do jornalismo. Na era da internet, as histórias curiosas atraem cliques e mais cliques, prendem o internauta e valorizam os portais. E eu devo confessar: me diviro bastante lendo esse tipo de coisa.
Dia desses, o R7 colocou em sua home uma chamada para uma notícia que citava um "porco peidorreiro". Depois, a sanidade deve ter tocado o coração de algum editor que substituiu o adjetivo grotesco do título por "flatulento". Mas, note que, no endereço do link aí de cima, o "peidorreiro" ainda aparece. Na pressa, também deixaram escapar um deslize no primeiro parágrafo:Ok, acontece. Mas hoje, chego em casa e recebo um alerta de minha prima no msn. Ela me indica uma curiosa leitura. Matéria do jornal O Dia. Creiam, caríssimos, que um chinês baixou no hospital com um controle remoto embutido... no feofó! A prova é o Raio X, que atesta que o controle estava devidamente carregado com duas pilhas. Afinal, ninguém se sabe a hora que vai bater aquela vontade de contrair os intestinos pra dar aquela zapeada básica na TV, certo? Duro seria ver televisão com o tal do china ao lado num dia em que ele enfrentasse o mesmo problema do porco da notícia do R7: a televisão não ia parar em canal nenhum!
Para quem já está achando o fato absurdo, um detalhe: o médico que atendeu o chinês-porta-controle-remoto declarou que o paciente vai ficar bem, "mas o controle já era". Gente, até o doutor é fanfarrão!!!
E como tudo que está ruim sempre pode piorar, o mesmo O Dia publicou a história do colombiano que, num surto napoleônico, condenou o próprio pênis à guilhotina. E o motivo quase torna a história romântica: o chico não queria trair a esposa. Romântico, não?
O que mais me chocou foi ler a história até o fim e ver o que disse o tal conterrâneo do Valderrama:

Gente! O homem costurava porcos e usou a linha pra fazer o acabamento em sua obra pró-fidelidade. Eu, do alto da minha ignorância sobre os limites da maluquice humana, vos pergunto: por que diabos ele não costurou o tal do porco peidão e evitou, com essa boa ação, que o doido do fazendeiro australiano pagasse aquele mico acionando os bombeiros pelo "vazamento de gás", hein?

Sim, amigos...o mundo tá mais doido do que se pode imaginar...ô se tá!!!

10.12.09

O que você faz no trânsito?

Ok, ninguém precisa confessar que tira meleca no sinal fechado. As estatísticas - armazenadas nas lembranças de todos nós - provam que o que mais tem por aí é motorista que aproveita esses momentos pra dar aquela limpeza no salão. Porcarias deixadas de lado, confesso: eu canto! É terapêutico!!!
Quando estou sozinho no carro, ligo o som e solto a voz. É bom, e faz o tempo passar mais rápido. E música faz bem à alma!
Mas confesso que tenho alguns pudores. Sempre que o sinal fecha, reduzo o volume - e a intensidade - da cantoria. Sabe como é, né? Já que não dá pra cobrar couvert artístico aos motoristas dos carros vizinhos, não tem motivo de ficar dando show de graça, certo? Foi exatamente isso que eu vi hoje, quando uma senhora entoava versos sertanejos na maior altura diante do semáforo vermelho. E não foi nada auspicioso...
Bom, se você estiver achando que eu e a despurdorada senhora somos loucos, devo dizer que estamos na companhia de, pelo menos, outras 203.500 pessoas! Todas integram a comunidade Sim, eu dirijo cantando, lá no orkut.
E você? Faz o que nos momentos de ócio no trânsito, hein???

9.12.09

Brasília: polícia x estudantes...

Aproveitei o dia de folga para assistir aos telejornais nessa noite. E fiquei muito impressionado com as imagens da ação policial no Distrito Federal. Com um rigor impressionante, a polícia enfrentou estudantes que protestavam contra o governador Arruda, mais uma vez envolvido num escândalo de corrpupção.
Cavalaria partindo pra cima dos estudantes, bombas de gás lacrimogêneo, spray de pimenta, helicóptero com policial armado...tudo contra cidadãos que exerciam o direito de...protestar! Por que, cá entre nós, se nem protestar mais for possível, aí é melhor apagar a luz e fechar a porta!
A imagem mais impressionante eu vi no Jornal da Band: entoando os versos do Hino Nacional, os estudantes ofereciam flores aos homens da cavalaria que, diante das ordens, nada podiam fazer senão agir com a mesma truculência - e violência - daqueles que entupiram seus panetones de dinheiro em mais esse caso que expõe a mais profunda das chagas brasileiras: a corrupção!
E pensar que hoje é o Dia Mundial de Combate à Corrupção...

Sobre a estreia de Cinquentinha...

Lançamento global investe no ritmo e na estética dos seriados americanos...


Antes de mais nada, preciso dizer que não vi todo o episódio de estreia da nova minissérie global. Mas gostei bastante do que vi. A ironia de Aguinaldo Silva ao criar tipos com traços das personalidades das protagonistas se revelou um acerto tremendo! O texto e a direção se mostraram acertados - e igualmente ágeis. O autor, que sempre se declara um admirador das séries americanas, conseguiu imprimir um ritmo realmente parecido ao das produções da terra do Tio Sam.
Mas tenho ressalvas. Danielle Winits, por exemplo, continua a interpretar do mesmo jeito. E nas cenas de desespero, tende a investir na gritaria. Eu, que cheguei da academia disposto a relaxar, fiquei realmente incomodado com tamanho desespero. Marília Gabriela destoa - no mau e no bom sentido. Se em alguns momentos parece aquém do papel, em outros surpreende, sua interpretação soa natural, moderna. E o saldo, pra mim, é bom. Sem contar que ver a jornalista - e, mais recentemente, atriz - colocando sutiã em cena é uma imagem pra lá de inusitada...
Betty Lago herdou o papel que seria de Marília Pêra. E emprestou tamanha verdade ao seu tipo que, hoje, cheguei a achar que Marília não criaria uma hippie tardia de forma melhor que Betty, outra atriz moderna, que convence tanto nas cenas de ironia quanto nos momentos mais densos.
Susana Vieira - a outra cinquentinha - está muito bem no papel (dela mesma?). E se vira e mexe recebe críticas por seu comportamento, merece elogios por topar o desafio de debochar publicamente da própria imagem que ajudou a construir. Demonstra inteligência e senso de humor, apesar de ter discordado das semelhanças entre sua personalidade e sua nova personagem. Susana, como Lara, é uma estrela. E estrelas têm egos inflados, sabemos todos...
Em suma, gostei mesmo! Deu vontade de acompanhar - coisa que não acontece com a novela das oito, por exemplo.
E você, viu? Gostou?


Comentaê!!!

Dividindo o momento...

Nos últimos 30 dias, o B@belturbo cresceu impressionantes 88%! Como diria alguém que a gente conhece, nunca antes na história desse...blog tanta gente nova chegou aqui! É o tipo de notícia que vale a pena dar!
E vamo que vamo!!!

8.12.09

Da série: "a pergunta que não quer calar..." 74

Li no blog da Fabíola Reipert que a Playboy de Fernanda Young encalhou feio nas bancas. E pensei cá com os meus botões: a quem essa notícia surpreende, hein?

Da série: "a luz no fim do túnel é um trem vindo pra cá..." 38

O mundo com os olhos voltados para Copenhague por conta da conferência que discute as mudanças climáticas e as profissionais do séquisso dando de graça - ok, o trocadilho é de última. Nem vou me alongar pro nível não descer ainda mais. Mas preciso dizer que se essa dadivosa oferta cair no gosto dos membros - ops! - da ONU, o clima pode ficar quente lá pela Dinamarca...

7.12.09

Sobre o novo DVD de Madonna...

Há quase um ano Madonna passou por aqui e sacudiu o Maracanã com a turnê Sticky & Sweet. Eu conferi a performance da material girl e escrevi aqui. Ontem, o Multishow exibiu o show, gravado dias antes, em Buenos Aires. Eu conferi a apresentação. E achei lamentável! Frio, o resultado mais parece um grande clipe que um show. A vibração do público não ganhou as telas e há momentos em que é fácil esquecer de que se trata de uma apresentação gravada ao vivo. Até porque, convenhamos, a loira não canta o tempo todo...
Achei que é um produto para fãs. Daqueles cegamente apaixonados. O que é uma pena: queria comprar pra ter o registro do show que assisti. Mas, pelo que vi ontem, acho melhor guardar na memória a lembrança daquela inesquecível - e calorosa - noite de chuva no Maraca.

6.12.09

Eu, hexa!!!

Sou Flamengo porque meu pai era. Nem lembro ao certo em que momento da minha vida direcionei minha torcida para os lados da Gávea, mas foi esse o rumo que tomei. E lembro que há 17 anos, eu tinha 12. Era criança ainda e, embora já rubro-negro, não sentia o coração palpitar ao ver os jogos do meu time...
Hoje, aos 29, continuo sendo um flamenguista distante do estereótipo do torcedor fanático: não vivo em estádios, não sou capaz de dizer os nomes de todos os jogadores do time e sei reconhecer quando a derrota - mesmo sofrida - parece merecida. Alguns amigos já me acusaram de torcer apenas quando o time está ganhando. Mas não é isso: torço quando reconheço no time garra e vontade de vencer. E de honrar com as vitórias a maior torcida do mundo. E, convenhamos, garra e vontade são características cada vez mais raras dentro das quatro linhas...
Mas nesse Brasileirão, sobretudo no segundo turno, eu vi garra e vontade nesse time. Vi força, vi alegria e vi disposição de brigar pelas vitórias. E pelo título. Um time afim de pôr um fim no jejum de quase duas décadas longe do mais importante título do país do futebol. Um time que se uniu, que superou condições pra lá de adversas e, rodada após rodada, soube se valer da força que a torcida emanava, não só na nossa casa, o Maracanã, mas nos quatro cantos do país...
Ver a força de Adriano, Petkovic, Léo Moura, Bruno & cia despertou o coração rubro-negro que bate no meu peito. Vi os jogos do time e não foram raras as vezes em que me percebi arrepiado diante da televisão ao testemunhar mais um belo passe, um drible ou um gol - e nem precisava ser um dos olímpicos do Pet. Arrepiado ao ver as defesas magistrais do Bruno - e que seriedade que esse cara tem! - e os gols do Adriano, Imperador e artilheiro do Brasileirão.
Hoje, fiquei 90 minutos em transe. Vi o jogo com um nó na garganta, impressionado com o espetáculo que a torcida deu - em retribuição ao time que demonstrou, rodada após rodada, o desejo de dar grandes espetáculos. Torci, vibrei, sequei o Grêmio - que não entregou nada, felizmente! - e terminei com um sorriso na cara. E a certeza de que mesmo sem lembrar de quando descobri que nasci com um coração rubro-negro, o que importa é que uma vez Flamengo, sempre Flamengo!

E viva o Hexa!!!!!!!!!!!

O Hexa é nosso!!!




Sem condições de escrever!!! Muuuito feliz!!!

5.12.09

Da série: "a pergunta que não quer calar..." 73

Passei dois meses trabalhando enlouquecidamente e só hoje, depois de muito tempo, pude ver novamente um capítulo da novela das oito, Viver a Vida. Depois dessa experiência, uma pergunta se apoderou de minha cachola:
O capítulo acaba sem que você tenha um único motivo para querer ver o próximo, é isso mesmo?

Rafinha Bastos, Twitter e os limites do humor...

Gerou polêmica a piada que o humorista gaúcho fez com a notícia sobre a morte da atriz Leila Lopes. Disposto a encontrar graça na situação, o apresentador do CQC saiu-se com essa:


Sou fã do Rafinha e estou longe de ser careta, mas acho que a piada foi um tiro no pé. Suicídio é um tabu em todo o mundo e não é preciso ser um grande gênio para supor que uma pessoa capaz de abreviar a própria vida se encontra numa situação de total desgosto e desespero. Sofrendo. E creio que nada disso combina com humor. Contrariado com as críticas, o humorista postou outra frase polêmica:

Bom, acho que a vida não é exatamente "ótima" pra todo mundo.

E poderia me alongar analisando o caso. Mas serei sucinto: Rafinha Bastos perdeu duas ótimas chances de ficar na dele. Ou de fazer o que ele faz de melhor - graça - com uma história, de fato, engraçada...

E você, o que acha?

Comentaê!!!



Sobre a campanha do Dia Mundial de Luta contra a Aids...

No que diz respeito ao uso de preservativos, o Brasil tem um histórico de campanhas desastrosas. Sempre apelando pro humor, acabam fazendo graça e criando polêmica, sem que as mensagens mais importantes sejam, de fato, levadas à população. Esse ano, no entanto, o Ministério da Saúde acertou em cheio ao mirar o preconceito e promover uma campanha simples, bonita e clara. Quem não viu, pode ver agora:


A história é real. Samir tem 25 anos, é professor e tem o HIV desde 2005. A namorada é Priscila, de 27 anos, que não tem o vírus. A imagem do beijo tem uma força impressionante, é um tiro certeiro na ignorância e no preconceito. Além de ser uma bela forma de falar de um assunto delicado e - ainda - tão polêmico e ignorado. Uma ótima ideia e muito bem executada.
E você, o que achou?
Comentaê!!!

Está aberta a votação do Mico do Ano...

Dezembro é o mês das tradições: o Papai Noel chega com show da Xuxa; aquela empresa de seguros ergue uma árvore maior a cada ano na Lagoa; e Roberto Carlos surge cantando as mesmas canções de sempre no especial da Globo. E aqui no B@belturbo, caríssimos, a tradição do mês de dezembro é a votação do Mico do Ano!!!
Façamos o seguinte: nessa primeira etapa, o voto é espontâneo. Teremos até o próximo sábado, dia 12, para fechar uma lista com os favoritos ao título, ok? Pode votar em quem quiser, nas situações descritas aqui no blog ou em qualquer outra da qual você lembre. O importante é que seja um mico relacionado ao ano que se despede...
E, claro: que vença o melhor. Ou, no caso...o pior!

Bora votar?

4.12.09

Morre Leila Lopes...

Sim, eu sei! O blog tá com cara de obituário. Mas prometo não me alongar em mais esse post de tom fúnebre. Só queria registrar a morte da atriz gaúcha, que foi da novela das oito ao cinema pornô. Em quase cinco anos de blog, Leila Lopes é a estrela de um dos posts mais procurados aqui no B@belturbo, exatamente sobre sua incursão no ramo do cinema erótico. São centenas de acessos de fãs que, na certa, esperam encontrar aqui algum link para download do filme.
Ontem, mais algumas centenas de fãs chegaram ao blog por aquele post. Talvez, ávidos por uma última homenagem à atriz...
Enfim, fica o registro. Que Leila Lopes possa descansar em paz e encontrar um caminho cheio de luz.

3.12.09

Morre Lombardi...

Duvido de alguém da minha geração que não tenha vivas na memória as lembranças dos textos que o locutor do Programa Silvio Santos dizia, todos os domingos, no programa do patrão. Quem não se lembra do "tênis Montreal, o tênis da garotada"? E quem vai esquecer o "oi, Silvio!" ou o "de hora em hora você confere o resultado parcial da Tele-Sena"?
Numa época em que quase todo mundo mostra as entranhas para ficar famoso, a morte de Lombardi faz pensar. Sem jamais mostrar o rosto na tela do SBT, ele se tornou uma das maiores figuras do elenco da emissora. O motivo? Seu talento.
Acho que a morte do fiel escudeiro pode representar para Silvio Santos o mesmo que a morte do Bussunda representou pra turma do Casseta & Planeta. E não é pra menos...
Que Lombardi vá em paz!

Valeu, turma!

Esse é um breve post de agradecimento aos que comentaram o último texto. Acho que vocês perceberam que se tratava de um post realmente especial e seus comentários carinhosos só vieram reforçar o prazer que sinto em escrever no blog.
Valeu mesmo!
E vamo que vamo!!!

1.12.09

Sobre um saudoso sessentão...

Se Deus não tivesse levado meu pai embora tão cedo, hoje seria um dia de festa aqui em casa: estaríamos comemorando os 60 anos do seu Ernani. E eu poderia combinar de levá-lo ao Maracanã no domingo, pra torcermos juntos pelo hexa do nosso Mengão.
Mas ele se foi quando nosso time ainda era tetra do Brasileirão...
A saudade que ficou já tá domada, num cantinho qualquer da minha alma. Às vezes, como agora, ela me bota um gosto amargo na boca e lágrimas nos olhos. Bota na minha cabeça a falta de todos os abraços que não tive e de todas as partidas de video-game que deixamos de jogar juntos. Saudade malvada que me faz pensar nos passeios que não fizemos e nas fotos que jamais tiramos juntos.
Ainda hoje, quando dizem que nos parecemos - fisicamente e no modo de agir - penso que, lá de cima, ele deve ter orgulho de mim. Por eu ter me tornado um cara do bem, que valorizo a família e meus amigos, responsável, apaixonado pelo meu trabalho e sempre crente de que pensar antes de agir pode ser a saída pra evitar grandes confusões. E desilusões. Pensar que ele tem orgulho do cara que me tornei me faz bem.
Da mesma forma que me faz bem - e me dá orgulho - lembrar do estivador que fez tudo o que pode para permitir que eu tivesse mais e melhores oportunidades nessa vida louca e breve.
Por isso, meu pai, feliz aniversário! Com muita saudade e amor...

Robbin Williams: um babaca quase perfeito!

Li a notícia sobre a "piada" do ator americano durante um entrevista a um talk show. Ele disse que o Brasil faturou as Olimpíadas porque mandou strippers e 50 quilos de pó, enquanto Chicago mandou Michelle Obama e Oprah.
Pra mim, esse tipo de comentário revela uma visão preconceituosa do país e dos brasileiros. Além de uma dor-de-cotovelo daquelas...
É babaca ou não é?

27.11.09

O sprint final do Salto...

Quem corre ou acompanha competições de corrida sabe que sprint final é aquele momento em que, tirando forças sabe Deus de onde, o atleta aperta o ritmo e dispara até a linha de chegada. E é esse exato momento que estamos vivendo no Salto.
Esse ano foi um ano muito importante, de muitas mudanças e de muito trabalho. O resultado agradou bastante e o compromisso é encerrar 2009 mantendo lá no alto as expectativas para o próximo ano. Fecharemos o ano falando de tecnologias na educação. E tem matéria sobre redes sociais, como Twitter, Orkut e Facebook; e sobre o peso que as tecnologias ocupam em nossa vida. Levantamos uns dados impressionantes mesmo! Além disso, claro, mostraremos experiências de escolas em algumas regiões do país.
Estamos num ritmo alucinante de edição. De modo que, via MSN, o editor do programa, Thiago Lage, resumiu bem o espírito da coisa: "Sexta-feira é véspera de q??? De muuuuuito trabalho!!!". Sim, caríssimos: trabalharemos sábado e domingo!
E isso explica o sumiço aqui do blog, ok?
Voltaremos em breve com a nossa programação normal. Ou a qualquer momento, em edição extraordinária!
Hasta!

26.11.09

Luciano do Valle global???

O locutor esportivo número um da Band transmitiu, na noite de ontem, a partida entre Fluminense e LDU. Mas bem antes do time tricolor de Laranjeiras sofrer um apagão em campo e perder de 5 a 1, o bom e velho Luciano abriu os trabalhos com uma pérola que deve ter confundido muitos telespectadores:

Isso me cheira a TOP Five do próximo CQC, hein?
A pérola chegou a mim via Twitter, pelo sempre antenado coleguinha @raphaelcrespo.


Será que surge mais um concorrente ao troféu Mico do Ano???

24.11.09

Miss chorume 2009...

Agorinha, enquanto vinha para a TV, avistei um caminhão de lixo. Até aí, tudo bem. Mas não tardou para que eu percebesse que alguma coisa estava fora da ordem naquela caçamba...

Diz aí: é ou não é pra essa moça se sentir um lixo?

O farelo está na mesa!

Muitos protestos sobre a visita do presidente do Irão ao Brasil. De fato, Mahmoud Ahmadinejad não é uma presença a ser celebrada. Sua vinda soa como um tapa na cara de judeus, mulheres, homossexuais e outras minorias. Sua vinda - e toda a pompa que a cerca - choca os que viram as imagens dos protestos no Irã, as mortes cometidas por um regime opressor e cruel, que mata os adversários. Que mata quem pensa e expressa as próprias convicções.
Mas lembro bem que George W. Bush também foi recebido aqui quando era presidente dos Estados Unidos. E o que penso sobre ele difere muito pouco do que penso sobre a autoridade máxima iraniana.
Talvez faça parte do jogo político receber esse tipo de liderança. Afinal, os meandros da diplomacia são muitos, claro. Mas já diz o ditado: quem se mistura aos porcos...
Duro é ter que engolir esse banquete a contragosto!

23.11.09

Fé no halter!!!

Hoje fiz uma aula de spinning daquelas. Treino de subida em ladeira, carga moderada, puxando pra pesada. Suei horrores. Ou, num bom português de boteco, dei tudo de...si! Pois bem. Acabado o treino, parti para os alongamentos e desci. No fim da escada da academia está a cantina. E eis que, sobre o balcão, avistei um...bolo de cenoura!!!
É sério! E se não bastasse o disparate do bolo, a atendente da cantina ainda despejava uma encorpada calda de chocolate na superfície daquela bomba calórica, aumentando o poder de fogo - e de atração - que aquele demoníaco manjar exercia sobre mim.
Mas suor de marombeiro tem poder, caríssimos! E, orgulhoso, vos digo: RESISTI!
Cheguei em casa e me fartei com a habitual saladinha. E até agora, quando lembro daquele bolo cheio de calda, repito: TÁ REPREENDIDO!!!
Amém?

Barraco no Twitter: Luciano Huck x Homero Salles...

Chacrinha já dizia que em televisão nada se cria, tudo se copia. Com o passar dos anos e o acirramento da disputa pela audiência, a máxima do Velho Guerreiro tem se confirmado. E pode se comprovada a partir de uma análise superficial de programas como o Caldeirão do Huck, da Globo e o Programa do Gugu, da Record.
Huck tem um quadro de reforma de casas. Gugu também tem. Huck tem um quadro de reforma de carros. Gugu também tem...
Nem Luciano Huck nem Gugu Liberato inventaram essas fórmulas. Quadros de reforma são uma franquia que rende dinheiro - e audiência - por todo o mundo, e é só dar uma zapeada pelos canais da TV a cabo para notar esse fenômeno. Há até reformas mais radicais, promovidas no corpo das pessoas, por meio de cirurgias plásticas e outros procedimentos estéticos. Coisas que, aliás, programas como o da Eliana e o da Márcia Goldschmidt já apresentaram por aqui também...
Ontem, no twitter, Luciano Huck resolveu comentar as coincidências entre os quadros do seu programa e o de Gugu Liberato:

O comentário de Huck foi postado enquanto o programa da emissora concorrente estava no ar. E bastou acabar o Programa do Gugu para o diretor da atração, Homero Salles, partir com fúria pra cima do marido de Angélica. Numa agressiva série de tweets, Homero, que chamou Huck de "mauricinho global", desmereceu a audiência conquistada pelo Caldeirão e lembrou um passado em que o programa de Luciano Huck era derrotado no Ibope pelo show de calouros de Raul Gil. Uma das mensagens mais agressivas foi essa:

Um barraco daqueles! Grande o bastante para abrigar essa que é uma briga de cachorro grande. Em outra mensagem, Homero Salles disse que o telhado de Luciano Huck também é de vidro. Huck, por sua vez, deletou as duas mensagens em que fazia referência ao programa da emissora concorrente. Mas aí o estrago já tinha sido feito...

Conclusão? Criatividade é um bem cada vez mais escasso no fantástico mundo da televisão!

E você, o que acha dessa história toda?

Comentaê!!!

22.11.09

Barraco no Twitter: Walcyr Carrasco x Guilherme de Pádua...

A rede social mais hype do momento foi o cenário de um certo barraco entre o autor de novelas Walcyr Carrasco e o ex-ator Guilherme de Pádua, condenado pelo assassinato da atriz Daniella Perez, em 1992. Guilherme, que cumpriu parte da pena e foi beneficiado pelas progressões de regime, está em liberdade e, ao que parece, criou um perfil no Twitter. E resolveu seguir o autor da novela das sete...
Walcyr não gostou da companhia virtual e, em sua página, passou a pedir ajuda aos contatos para bloquear o ex-ator. Chegou a enviar mensagens mal-criadas para um homônimo de Guilherme de Pádua até que, enfim, bloqueou seu indesejado seguidor. E se justificou:

A suposta página de Guilherme de Pádua no twitter é protegida - somente os seguidores dele têm acesso ao conteúdo de suas mensagens. Mas chama a atenção o cunho religioso do texto de apresentação:


Numa das mensagens explicando a confusão, Walcyr chegou a argumentar que sabe que Guilherme já cumpriu sua pena, mas julga as leis brasileiras fracas demais. E revelou que sabe que será criticado por algumas pessoas por sua atitude.
E é claro que já tem gente fazendo piada com a polêmica. Antonio Tabet, o Kibeloco, tuitou: "Não vejo o menor problema em seguir Guilherme de Pádua no Twitter. O perigo é ser seguido por ele."
Eu acho que Walcyr Carrasco está no seu direito. Não quer proximidade, ótimo. Só não sei se precisava tornar pública a questão...

E você, o que acha?
Comentaê!!!

O toque de Minas...

Toda de branco, eis que surgiu a bela mulher responsável por executar aquela tarefa. Uma massagem terapêutica, nada erótica, nada sensual. Vestia uma calça que modelava o corpo bem torneado e uma blusa que apenas permitia supor toda a beleza que o decote tímido não deixava que se visse. Os cabelos, alourados, estavam presos em rabo de cavalo, e parte da franja cobria sua testa. Tinha olhos verdes. E sotaque. De mineirinha!
Apresentou-se com simpatia e, se é que isso é possível, com distanciamento. O cliente já estava sobre a maca, apenas de cueca, pronto para cumprir mais uma etapa de seu tratamento. Sim, ele reparou a beleza da moça. Mas não deu especial atenção à ela. A situação era delicada.
E ficaria ainda mais...
Primeiro, ele sentiu o gelado gel usado na massagem em contraste com o calor do seu corpo. E, em seguida, a maciez daquelas mãos mineiras, que percorriam seu abdôme e parte do tórax. Era relaxante demais, apesar da força empregada pela moça a cada movimento. Fechou os olhos e se deixou levar por aquele momento. Se o paraíso existia, finalmente tinha chegado nele!
Até que alguma coisa o despertou de seu transe. Até agora não sabe dizer se, tal qual Eva, a massoterapeuta também havia provado do fruto proibido, mas o fato é que, num repente, as mãos da moça já desciam bem mais além do que o habitual. Percebeu que sua cueca também estava um pouco mais baixa que de costume e mais: que o corpo já reagia aos estímulos daquela massagem.
Deliciosa e assombrosa massagem! Instigante, intrigante e vexatória massagem: lá estava ele, de cueca, sobre uma maca, sendo massageado por uma linda mulher e, sem que pudesse conter ou negar, excitado por toda aquela situação.
Lembrou-se das dicas de amigos e se pôs a pensar em coisas tristes. Imagens de guerra, de cães mortos, da fome na África: tudo passou pela sua mente em uma interminável fração de segundos. Mas a tática se revelou ineficaz...
Até que a mineirinha passou a intensificar a massagem. E - jamais se saberá se foi intencionalmente ou não - vez em quando passou a roçar seus seios sobre o abdôme dele. Ele, olhos fechados, concentrando-se para tentar domar o indomável, questionava-se se seria de bom tom pedir desculpas ou ensaiar qualquer manifestação de pesar pela gafe, cada vez maior, que se erguia sob a sua cueca. Chegou a abrir a boca para tentar desfazer aquele silêncio constrangedor quando um toque o fez suspender a respiração. Não, não podia ser! Estava delirando, claro! A mão dela não teria...! De novo! E outra vez...
Seus músculos se contraíram. Respirou fundo. Como quem não quer nada, abriu os olhos e viu a expressão séria, profissional, da mineirinha massagista. Quem visse aquele rosto sereno não poderia jamais supor que, por algumas repetidas vezes, as delicadas mãos dela se enfiaram dentro de sua cueca. E, nunca se saberá se propositadamente ou não, massagearam suavemente uma parte de seu corpo que não estava incluída naquele tratamento!
Se pensasse como aquela ex-ministra, teria relaxado e...
Mas não: acalmou-se e resolveu aproveitar aquela fortuita e proibida aventura...

21.11.09

Fatiaram a Língua Portuguesa...

...e foi via e-mail, meus caros. Não era um e-mail qualquer e, sim, um dentre as dezenas de spams que recebo diariamente. A mensagem fazia alusão a supostas fotos tiradas numa noite no motel - sim, 11 em cada 10 internautas já receberam esse tipo de e-mail. Mas o que me chamou atenção foi a grafia um tanto peculiar utilizada pelo desconhecido remetente:

"Tiraro essa foto..."

Tiraro? Aposto que quem tiraro forão eles tudo!

Já que os spams são inevitáveis, será que é demais pedir que ao menos eles sejam revisados por algum corretor ortográfico???

20.11.09

Por Toda a Minha Vida sobre Cazuza emociona...

Quando soube que a nova temporada do programa contaria, no primeiro programa, a vida de Cazuza, achei que o tiro poderia ser no pé: a vida do poeta da geração 80 foi recentemente levada para as telonas dos cinemas, o filme fez muito sucesso e - na minha análise - o especial não despertaria o interesse do grande público. Afinal, o que o programa poderia trazer de novo?
Caí do cavalo. E com gosto! O Por Toda a Minha Vida sobre Cazuza foi um programão daqueles! Um exemplo de produto refinado, bem produzido e bem dirigido! O ator que interpretou o Cazuza é um talento e os depoimentos colhidos pela equipe do programa ajudaram a reconstruir o mundo particular do artista homenageado. A Globo deixou os tabus de lado e não "maquiou" os fatos: Cazuza esteve ali intenso, desbocado, bissexual e...genial! Exatamente como atestaram seus amigos e familiares. E exatamente como podemos perceber ao analisar a sua obra.
Foi um show! E eu, que ando trabalhando muito, felizmente tive a chance de conferir esse grande momento da TV brasileira...

18.11.09

Sobre vida, morte, impermanência e escolhas...

Nos últimos dias, a morte cruzou o caminho de dois amigos meus, levando pessoas mais que especiais para eles. Sei como é isso e me senti um pouco impotente por não poder estar próximo nesse momento tão difícil, quando o destino joga na nossa cara quem é que está no comando.
A triste coincidência - e o inevitável sofrimento dos meus amigos - me fez pensar na impermanência de tudo. E do quão assustador pode ser pensar que um até logo, dito quase no "piloto automático", pode acabar se transformando num "até nunca mais". Uma realidade dura de encarar, ainda mais quando estamos tão habituados a achar que estamos, sempre, no controle da situação.
Balela pura...
Portanto, busquemos todos cultivar o equilíbrio. Pensar bem em nossas atitudes, nas nossas escolhas. Nos sofrimentos que criamos - por vezes, inconscientemente - e despejamos sobre nossas próprias costas, tornando a caminhada mais e mais difícil. Busquemos todos refletir sobre o que realmente vale a pena e sobre o que, de fato, é capaz de nos trazer paz e alegria. Porque, no fim de tudo, é apenas isso que vale: o que cultivamos com os outros e aqui, dentro de cada um de nós...

16.11.09

Vermelho sangue...

O fio reflete a luz da vela. Brilho cortante no meio da noite escura. A pele arrepia e a boca, completamente seca, incomoda-se com o gosto daquela fita.
A fita que lhe cobre.
A fita que sufoca.
A fita que lhe emudece.
A fita que lhe enlouquece...
A chama queima o pavio cada vez mais curto da vela. Curto como o pavio de quem aperta aquele cabo, com a firmeza típica dos que têm certeza do que fazer. E de como fazer.
Um só golpe.
Rápido.
Preciso.
Apunhalada no meio daquela garganta que tantas vezes lhe disse palavras duras. A facada final em quem tantas vezes agiu para matar seus sentimentos.
E então, sopra a chama da vela até que se faça o breu. E, em segundos, mesmo no escuro, tem a certeza de que o carpete cinza está irremediavelmente tingido de vermelho...

14.11.09

Carta de um carioca para Deus...

Senhor,

Há tempos venho postergando o desejo de lhe enviar essa correspondência. Confesso que nem sei se chegarás a ler estas mal digitadas linhas, mas preciso tentar. Sei que tens mais de 6 bilhões de filhos a lhe amolar com toda sorte de pedidos, e igualmente entendo que, embora grande, sejas apenas um para atender à tamanha demanda. Portanto, em verdade lhe digo, Senhor, compreenderei caso não me possas atender.
Mas, se me permites advogar em causa própria, digo que o que peço não servirá apenas para atender à minha vontade. O que peço alegrará, sim, alguns milhões de irmãos meus. E creio que seja uma solicitação simples, que não vai exigir grandes esforços do Senhor ou de sua equipe...
É o seguinte: se for possível, ó Deus, peça a alguém para auxiliar São Pedro no controle do termostato que regula a temperatura aqui da minha cidade. Talvez São Pedro esteja influenciado pelo estereótipo do verão, pelas imagens que a mídia mostra das praias lotadas nessa época do ano e, com todo o respeito, pelas moças que vão à olra para bronzear suas intimidades e, para isso, tornam público o que, em outras épocas, o Senhor sabe, era comum esconder. Sim, talvez o guardião do clima e da chave dos céus se tenha deixado levar pela beleza dourada dessas novas Evas e, para vê-las cada vez menos cobertas, esteja calibrando o sol com intensidade muito elevada. Se continuar assim, todo o trabalho que o Senhor fez lá atrás, durante quase uma semana, vai por água abaixo! Imagine que absurdo: o Senhor se esforçou tanto para criar climas e paisagens tão diferentes e vem São Pedro, atraído sabe-se lá por quê, e faz tudo virar um enorme deserto! Não pode, Senhor! Aqui em minha cidade não há camelos e, no meio de todo esse caos, certamente se tornará dificílima a tarefa de encontrar um oásis que seja caso o termômetro não seja reconfigurado.
Senhor, o calor anda tamanho que há quem diga ter visto, dia desses, a estátua de seu filho com apenas um dos braços aberto. Com o outro, dizem, o Redentor se abanava arduamente...
Imagine o Senhor que andam até dizendo que, nesse quase-verão, o - com o perdão da má palavra - inferno é aqui!
Será que podes me ajudar, ó Pai?
Aguardo o retorno.
Sua benção,
Um carioca.