30.12.09

E agora, consumidor? Quem poderá nos ajudar???

Ontem, resolvi comprar um videogame. Evito citar marcas e griffes aqui, mas comprei o PS3, da Sony. No Barrashopping. E a busca pelo meu (tardio) presente de Natal rendeu...
Primeiro, fui procurar o produto na loja própria do fabricante. Lá você encontra tudo da marca Sony: TVs, filmadoras, DVDs, aparelhos de som...e etc. Nada mais lógico que encontrasse o tal console de videogame, certo? Errado! A resposta do vendedor:
- Ainda não temos pra vender. Só pra demonstração...
Saí da lógica tentando entender qual o sentido de demonstrar um produto que não está disponível para venda...
Enfim. Fiz uma bela pesquisa de preço e me decidi pelas Lojas Americanas. E antes que você suponha que isso é uma dica, CUIDADO! Enquanto pagava pelo meu videogame novinho, avistei um aviso afixado ao lado do guichê do caixa. Tratava-se de uma lista relativa aos procedimentos de troca. E lá pelas tantas, um item afirmava, categoricamente:
"NÃO TROCAMOS PLAYSTATION 3".
Como assim, cara pálida? Pode, em pleno século XXI, uma loja decidir que não troca um determinado produto, ainda que ele não apresente as condições desejáveis de funcionamento? E a Lei de Defesa do Consumidor? E o Procon? E a Justiça? O que dizem?
E o consumidor, como fica?
Achei absurda a cara de pau da loja de ainda anunciar esse tipo de posição. Uma afronta ao que determina a legislação e aos direitos do consumidor. Segui lendo e descobri que lá também não são feitas trocas de celulares da marca SAMSUNG. E fiquei me perguntando quais os critérios determinantes para que essas posições lastimáveis sejam tomadas por uma das maiores redes de varejo do país.
Algum palpite?
Postar um comentário