11.12.09

Jornalismo ou realismo fantástico?

As notícias bizarras se tornaram um grande filão do jornalismo. Na era da internet, as histórias curiosas atraem cliques e mais cliques, prendem o internauta e valorizam os portais. E eu devo confessar: me diviro bastante lendo esse tipo de coisa.
Dia desses, o R7 colocou em sua home uma chamada para uma notícia que citava um "porco peidorreiro". Depois, a sanidade deve ter tocado o coração de algum editor que substituiu o adjetivo grotesco do título por "flatulento". Mas, note que, no endereço do link aí de cima, o "peidorreiro" ainda aparece. Na pressa, também deixaram escapar um deslize no primeiro parágrafo:Ok, acontece. Mas hoje, chego em casa e recebo um alerta de minha prima no msn. Ela me indica uma curiosa leitura. Matéria do jornal O Dia. Creiam, caríssimos, que um chinês baixou no hospital com um controle remoto embutido... no feofó! A prova é o Raio X, que atesta que o controle estava devidamente carregado com duas pilhas. Afinal, ninguém se sabe a hora que vai bater aquela vontade de contrair os intestinos pra dar aquela zapeada básica na TV, certo? Duro seria ver televisão com o tal do china ao lado num dia em que ele enfrentasse o mesmo problema do porco da notícia do R7: a televisão não ia parar em canal nenhum!
Para quem já está achando o fato absurdo, um detalhe: o médico que atendeu o chinês-porta-controle-remoto declarou que o paciente vai ficar bem, "mas o controle já era". Gente, até o doutor é fanfarrão!!!
E como tudo que está ruim sempre pode piorar, o mesmo O Dia publicou a história do colombiano que, num surto napoleônico, condenou o próprio pênis à guilhotina. E o motivo quase torna a história romântica: o chico não queria trair a esposa. Romântico, não?
O que mais me chocou foi ler a história até o fim e ver o que disse o tal conterrâneo do Valderrama:

Gente! O homem costurava porcos e usou a linha pra fazer o acabamento em sua obra pró-fidelidade. Eu, do alto da minha ignorância sobre os limites da maluquice humana, vos pergunto: por que diabos ele não costurou o tal do porco peidão e evitou, com essa boa ação, que o doido do fazendeiro australiano pagasse aquele mico acionando os bombeiros pelo "vazamento de gás", hein?

Sim, amigos...o mundo tá mais doido do que se pode imaginar...ô se tá!!!
Postar um comentário