13.12.09

Dois anos de muita saudade...


Por mais que amadureça, por mais que o tempo abrande dores e sentimentos, a vida tem me mostrado que há lacunas que jamais conseguiremos preencher. Como é a sua ausência, vó.
Hoje faz dois anos e ainda sinto o peito apertar de tanta saudade. Saudade de rir contigo, de ouvir tua voz e as histórias deliciosas da sua época de criança. Saudade de zombar do seu apetite com as mangas e de te olhar admirando sua força e sua doçura. Saudade de te pedir a benção e me sentir verdadeiramente abençoado por você.
Saudade de comer seus salgadinhos sem igual e de gargalhar das receitas que, na prática, não se concretizavam do jeito que você planejava. Saudade de andar de braço dado contigo, de tomar banho de mar cuidando de você como quem cuida da mais preciosa das pedras preciosas...
Agora, vó, você mora dentro de mim. Te guardo no peito e nas memórias que tive a sorte de acumular no tempo em que você esteve aqui com a gente. E sei que minha pedra mais preciosa virou uma estrela para emprestar seu brilho ao céu. Mas confesso: há dias, como hoje, em que só queria ter você um pouquinho mais aqui por perto, pra poder te encher de beijos e deitar no teu colo.
Sonho do menino que teve a sorte de ter uma vó tão maravilhosa como você sempre por perto...
Postar um comentário