2.1.09

Ano novo, problema velho...

Eu simplesmente odeio o meu banco! Assim, passional mesmo! Não suporto a (falta de) qualidade dos serviços (?!?!?!) prestados (?!?!?!) por essa instituição. Tenho sérias restrições ao humor de alguns funcionários que se acham no direito de tratar mal o cliente pelo simples fato de terem o emprego garantido e; mais que tudo, não suporto a imagem das agências eternamente lotadas!
Isto posto, vamos à última do tal banco: desde o fim do ano, minhas senhas foram misteriosamente bloqueadas. Realizar operações pela internet e pelo telefone se tornou impossível do dia para a noite! Ou seja: passei a ser um dependente das agências lotadas, com filas que lembram a bilheteria do Maracanã em dia de Fla x Flu.
Hoje, passadas as festas, liguei para o meu gerente.
Pausa dramática para a interação com o leitor:
Nunca tive um gerente que fosse parceiro como mostram os comerciais de bancos. E você, já teve?
Voltando ao texto...
Liguei e fui atendido por um substituto, visto que meu gerente - de quem sequer sei o nome - encontra-se em licença médica. O reserva do gerente, depois de ouvir meu relato, pediu um minutinho para verificar o sistema.
Assumo: garro muito ódio quando me pedem um minutinho! E não é porque seja impaciente não! É porque sei que o tempo vai - sempre - muito além dos 60 segundos combinados!!!
Dez minutos depois, o reserva voltou a falar comigo. Vejam que constatação brilhante ele me trouxe:
- Realmente! Suas senhas estão bloqueadas!
Confesso, xinguei muito o cara. Mas internamente, claro! O ano está apenas começando e eu quero ser uma pessoa melhor. Mas, convenhamos: como assim o sujeito leva 10 minutos pra descobrir o que eu falei de cara, assim que ele atendeu a ligação???
O vice-gerente continuou sua brilhante orientação:
- Tanto a senha da internet quando a do telefone estão bloqueadas. Você errou as senhas mais de três vezes?
- Não - respondi, seriamente empenhado em controlar minha ira - logo na primeira tentativa fui avisado de que as senhas estavam bloqueadas. Por que isso acontece?
- Hummmm - respondeu o reserva, com aquele ar de quem não faz ideia do que deve dizer - olha...hummmm...bem....hummmm...
Foi quando o diabinho falou mais alto aos meus ouvidos:
- Ok, você também não sabe, é isso?
- Geralmente isso acontece quando há uma tentavia de invasão aos computadores do cliente, mas, nesse caso, nos recebemos um relatório de segurança. E esse relatório não consta no sistema.
Apesar da desenvoltura, tive a certeza de que ele não sabia explicar que raios tinha causado o bloqueio. Respirei fundo e, com o melhor da minha educação, perguntei:
- Como a gente pode resolver essa situação?
Mas o interino não parecia me ouvir...
- Que coisa mais engraçada... - ele disse.
Foi quando eu mandei o bom samaritano que mora em mim pro escambau:
- Olha, me desculpa, mas eu não acho engraçado coisa nenhuma! Aliás, eu acho isso um pé no saco! O banco não me facilita em nada e, pra piorar, ainda resolve dificultar as coisas!
- Sim, claro - ele disse - foi só um jeito de falar. Mas você pode desbloquear suas senhas indo à agência.
Pausa para contextualização...
Minha agência é no centro da cidade. A própria visão do inferno! De tão cheia, parece uma micareta, não importa o dia nem o horário.
De volta ao diálogo com o gerente-reserva:
- Ah, ok! Eu só posso desbloquear as senhas na minha agência ou em qualquer agência?
- Hummmm...aguarde um minutinho que vou verificar...
Mais um minutinho? Aí não teve jeito! O anjinho que fala nos meus ouvidos foi sumariamente amordaçado pelo capetinha e eu xinguei umas três gerações do gerente-interino, do fundador do banco, da pessoa que teve a infeliz idéia de depositar meu salário lá e etc. Quando o minutinho passou - meu relógio denunciava: foram cinco! - ele me respondeu que a operação poderia ser realizada em qualquer agência.
Mas eu já estava calmo novamente. Agradeci pela atenção, desejei boa tarde, um bom ano novo e desliguei, certo de que não iria à agência alguma. Além dessa decisão, resolvi que vou começar 2009 trocando de banco. Afinal, se quero ser uma pessoa melhor nesse ano, nada mais justo que me cercar de pessoas melhores, de serviços melhores e de instituições melhores, né?
E Namastê pra você também!
Postar um comentário