25.6.08

Breve ensaio sobre um ensaio...

No estúdio, diante daquela máquina que me clicava sem parar, cada segundo parecia interminável. Longo, cansativo, lembrando-me do quão difícil é permanecer de braços cruzados - ou estendidos e com as mãos no bolso. E de como é igualmente difícil a tarefa de permanecer sorrindo sem que haja motivo e/ou razão para isso.
Juro que até pensei - enquanto eu e a colega Bárbara Pereira éramos clicados - que a vida dos modelos não é nada simples. E não tardou para que eu pensasse, com os meus botões, que tinha sido abençoado por sofrer apenas com os cliques. Sim, caros, acho que não suportaria a parte das saladas...
Postar um comentário