11.6.08

E a platéia caiu no samba dela...

Abarrotada por um público muito jovem e vibrante, a pista do Vivo Rio certamente garantiu a animação para o DVD "Samba Meu", que Maria Rita gravou na noite de ontem...


Empolgação. Essa é a palavra que melhor define o estado de espírito dos fãs que tomara a pista para conferir, bem de pertinho, a gravação do terceiro DVD da carreira de Maria Rita. Cantando o repertório da diva de fio a pavio, o público batia palmas até quando a canção não pedia o acompanhamento, como aconteceu em "Caminho das Águas". Nada que comprometa, afinal, a noite era de festa; uma prova definitiva de que a cantora vive nova lua-de-mel com o público.
O repertório foi basicamente o mesmo que dá base a turnê do disco homônimo, lançado em setembro do ano passado. De novidade, apenas a inclusão da bela "Trajetória", que Rita inexplicavelmente não cantava nas apresentações até então. Segue trecho do belo samba, gravado anteriormente por Elza Soares:

A baixa no roteiro ficou por conta de "Veja bem meu bem", que tinha tudo a ver com o roteiro mas foi extirpada da gravação. O público também pediu "Santa Chuva", mas não foi atendido. Talvez porque, em vez de chuva, Maria Rita e sua banda queriam irradiar calor para a platéia. E conseguiram! Números como "Maltratar não é direito", "Conta Outra", "Num corpo só" e "Corpitcho" foram acompanhados de calorosos aplausos - alguns, em cena aberta. Algo que aconteceu novamente no bis, quando a cantora entoou os belos versos de "Não deixe o samba morrer" antes de encerrar o show.

Em "Cara Valente", o primeiro samba de Rita a cair nas graças do público, o coro também disse a que veio, como mostra o vídeo:

As falhas técnicas - sempre presentes em gravações ao vivo - foram poucas e não comprometeram o pique da apresentação. E, pelo que se viu, a noite desta terça-feira tem tudo para render o mais caloroso e festivo DVD da carreira da cantora.
O único senão da noite não foi musical. Ao menos para quem foi de carro ao Vivo Rio, a saída da casa de espetáculos foi bastante confusa - e demorada. O serviço de estacionamento oferecido pela casa, além de lento, acaba com o clima de festa de quem sai de um bom show - como foi o caso - e, depois, acaba se vendo obrigado a esperar pelo carro por cerca de 30 minutos. Um anticlímax completo...
Postar um comentário