21.6.08

A arte de fazer nada...

Marcelo Bohrer em frente ao símbolo do Nadismo: o cubo vazio...

A entrevista com Marcelo Bohrer, exibida agorinha no "Programa do Jô", poderia ter tomado rumos bem mais interessantes se o apresentador não estivesse empenhado em fazer graça apenas. O representante do Clube de Nadismo demonstrou ter embasamento para falar dessa pilha-sem-fim que a sociedade atual parece querer colocar em todos nós. Mas Jô demorou a perceber isso.
A idéia do Clube de Nadismo é a defesa do ócio. Fazer nada e ponto final. É claro que é curioso, quase absurdo pensar nisso; mas é fundamental analisarmos o que fazemos com nosso tempo. Plugados o tempo todo, somos - quase todos - reféns de relógios e compromissos que se sucedem e tomam conta da nossa rotina.
É claro que o Clube de Nadismo parece algo engraçado demais - e, em certa medida, é mesmo. Mas o debate é interessante. Embora eu tenda a achar que, em 10 minutos fazendo nada, morreria de sono. Ou de tédio...
E você? Consegue se imaginar fazendo nada?

PS.: Pesquisando no Orkut, achei o perfil do Marcelo Bohrer. E a maior comunidade de Nadistas, com mais de 500 integrantes. Um número que deve subir bastante depois da entrevista no Jô...
Postar um comentário