18.6.08

Café amargo...

Nesses dias frios é praticamente impossível resistir à tentação de tomar um café no meio da tarde. No meu caso, prefiro o capuccino que não é aquela cerveja mas também desce redondo!
Quando bate a vontade, lá vou eu: moedas na mão a caminho de uma das máquinas de café instaladas nos corredores da TV.
O problema, meus caros, é que essas máquinas têm se revelado, nesses quase oito anos de convivência, um tanto espertinhas demais! Aceitam minhas moedas de bom grado, preparam o café e, na hora do troco: suspense! Às vezes, recebo menos do que deveria - já paguei até R$ 1 por um mísero expresso!!! - em outras, simplesmente, ela não dá troco! Assim, sem aviso, sem um sinal sequer de que não está num bom dia! Elas recebem as moedas, entregam o café e nem sinal de devolver o excedente! As máquinas parecem ser seguidoras daquele ideal de "venha a nós tudo bem, mas vosso reino nada!!!"
Hoje, friozinho, lá fomos, eu e duas amigas, tomar o café do extelionato. Já preparados: não é raro tomar calote.
Na fila do cafezinho, encontramos um visitante pouco enturmado com a geringonça. Atabalhoado, apertava vários botões e estava quase enlouquecendo o equipamente quando uma das minhas amigas resolveu ajudá-lo.
Na hora de colocar sua moeda na máquina, o trapalhão olhou pra trás e perguntou:
- Ela dá troco, né?
E minha outra amiga, até então apenas debochando do jeito estabanado do visitante, disparou:
- Nem sempre! Essas máquinas de café são caça-níqueis disfarçados!
E concluiu:
- Mas você é visitante e a lógica é a mesma dos caça-níqueis: na primeira, você ganha! Depois, só vai levar fumo...
Saí da fila pensando no nome que a Polícia Federal poderia dar a uma operação para investigar o caso - já repararam como são criativos os nomes das operações da PF???. Algo como "Operação Grã-Torrado" ou "Operação Pilão na Berlinda".
Acho que renderiam boas manchetes nos jornais...
Postar um comentário