4.6.09

Sobre o Pode Entrar de Ivete Sangalo...

Não vi todo o especial exibido pelo Multishow. Mas o que vi me impressionou. Primeiro, pela beleza das imagens captadas pela equipe comandada por Joana Mazzuchelli. Além das gravações das canções que integram o repertório do projeto, Joana e sua trupe souberam retratar Salvador lindamente. Confesso: fiquei com muita saudade da Bahia...
Das músicas - já que se trata de um disco - eu também gostei. Especialmente de Muito Obrigado Axé, uma pérola que Carlinhos Brown deu para Ivete cantar com Maria Bethânia. O encontro das duas, no qual Ivete assume deliberadamente o papel de fã, é o ponto alto do projeto - não por acaso, encerrou o especial do Multishow. As vozes das baianas - de estilos tão diferentes, a ponto de muita gente torcer o nariz pro encontro - harmonizaram-se perfeitamente, resultando num registro delicado e certeiro. Acerto indiscutível!
Gostei também de Quanto ao Tempo, de Brown e Michal Sullivan. Balada arranjada com cordas, numa pegada muito boa de ouvir. E vale ressaltar que esse também é um encontro muito feliz. O que também vale para o dueto entre a baiana e Marcelo Camelo, que compôs e foi cantar Teus Olhos, uma música com sonoridade havaiana, que me lembrou a praia do Jack Johnson. Bem bacana.
Com Saulo Fernandes, Ivete canta o reggae Vale Mais. Curti. Não é nada fora de série, mas me cheira a hit, dada a popularidade da dupla - no sentido de que o público gosta de ver os dois cantando juntos.
Os duetos com Mônica Sangalo e com os Aviões do Forró não me disseram muita coisa. Mas cabem, não chegam a comprometer.
Sozinha, Ivete interpreta Meu Segredo - romântica que casou muito bem com a voz grave e rouca; e Agora eu Já Sei - outra lentinha, já sucesso nas rádios de todo o Brasil.
Mas aí alguém pode perguntar: "Mas e a madeirada?"
A baiana não esqueceu do estilo que a consagrou, embora a Música Prapular Brasileira seja ofuscada pelas canções que citei acima, pelo caráter de novidade que elas conferem ao projeto. Mas isso não é o fim do "tira o pé do chão". Na base do beijo, Balakbak, Cadê Dalila e Oba Oba provam que Ivete anda com um olho no padre e, é claro, outro na missa.
Sou fã da baiana e isso não é novidade. Mas sinceramente acho que o projeto soma muita coisa à obra dessa baiana. No que depender do Pode Entrar, Ivete Sangalo já pode aposentar o Carro Velho, dar férias para o Pererê e deixar de lado o Canibal. Afinal, tem muita coisa nova e boa pra cantar...
Agora, achei muito curiosa a opção por não exibir a música do carnaval no especial. Na comunidade de fãs de Ivete no Orkut, todos se perguntam: Cadê Dalila?
E viva a metalinguagem!!!
Postar um comentário