7.3.10

Da série: "a pergunta que não quer calar..." 82

Saí com Robinho pra passear na tarde de hoje. Se você é novo por aqui, não confunda: o jogador do Santos e eu sequer nos conhecemos. Falo de um dos mascotes aqui de casa, um poodle fanfarrão com quatro anos recém-completados. Gordo como um porco, botei o sedentário pra caminhar um pouco e queimar um bocado do que lhe sobra em forma de banha.
Uma última tentativa antes de começar a pensar em substituir sua ração pela humana, que, dizem, emagrece.
Lá fomos nós a zanzar pela rua e, meus caros, fiquei absorto! O cachorrinho fez xixi em TODOS os postes e árvores que viu pela frente. O ritual era o mesmo: assim que avistava o alvo, Robinho fazia força, me arrastava na direção de seu banheiro ao ar livre, levantava a patinha e se aliviava para, alguns metros adiante, repetir todo o processo.
Sei que os machos são assim - ainda falo de cães, ok? - e que, agindo desse modo, buscam marcar o território. Essa é a explicação científico-comportamental para o fato. Mas, encafifado com aquela mijadeira toda, pergunto-vos:
Como pode um cachorrinho tão pequeno guardar tanto xixi dentro de si?
Cartas para a redação!
 
PS.: Antes que perguntem, tranquilizo: não havia fiscais do Choque de Ordem aqui perto de casa hoje. Apesar de mijão, Robinho voltou são e salvo. E com um palmo de língua dependurada fora da boca...
Postar um comentário