30.3.09

Os vídeos que revi(vi)...

Depois de muito tempo, revi algumas imagens nossas. E embora saiba que talvez - aliás, muito provavelmente - você nunca vá ler esse texto, senti necessidade de dizer que senti saudade. Não de nós como um par, mas do que éramos naquela época.
Em primeira análise, um casal muito bonito...
Te vi ali, tão linda, parecendo uma boneca, e entendi - de novo - porque foi tão avassaladora aquela paixão. Desmedida, desenfreada, intensa. Jovem...
Senti saudade dos sonhos e de uma certa inocência que nos fizeram, de mãos dadas, dar um salto no escuro, rumo a uma das maiores aventuras das nossas vidas. Aventura séria, de gente grande, que a gente encarou quase como quem decide no par ou ímpar a sorte do dia seguinte. Ou do resto da vida...
Revendo os vídeos, descobri que as mágoas são coisa do passado. Obra do passar dos anos e do tempo de maturação desses sentimentos todos que fervilharam dentro desse peito aqui antes, durante e depois.
E foi bom descobrir que te quero bem. Que desejo sorte na sua vida nova, com a sua família nova. E que, de certa forma, lamento que a vida - ou seria a imaturidade? - tenha nos afastado tanto e tão abruptamente. Mas é o curso que o nosso rio tomou. O importante é que sejamos felizes e encontremos, cada qual do nosso jeito, o melhor e mais límpido dos mares lá na frente...
Depois de pensar tudo isso, sou um cara mais leve. E certo de que te amei muito. Porque só o amor resiste ao tempo, às crises, e, mesmo depois de anos hibernando, é capaz de renascer na forma de um querer bem tão bom de sentir.
Seria ingrato demais com a nossa história se fosse diferente! E, graças a Deus, não foi!
Felicidades pra nós!
Postar um comentário