1.3.09

Minha primeira vez na Sapucaí...

As baianas do Salgueiro, escola campeã do Carnaval 2009



Turma, ontem eu conferi a emoção de assistir aos desfiles das escolas de samba lá na Avenida. E é completamente diferente de tudo o que eu imaginava - o que é positivo, pois nunca fui dos mais empolgados com o carnaval do Rio.
Estar na Sapucaí é entender, por exemplo, a exaltação às Rainhas de Bateria, as vedetes do nosso tempo. É admirar o carisma arrasador de Luma de Oliveira e Viviane Araújo, que num requebo de quadris, levantam toda a galera e garantem o astral lá no alto para a passagem da escola. É sentir o coração pulsar no compasso da bateria e se surpreender com emoções até então nunca antes experimentadas, como um arrepio diante do som emitido pela emblemática águia da Portela ou pelo encatamento dos rodopios de Selminha Sorriso, a porta-bandeira mais famosa da atualidade.
Estar na Sapucaí é ver um carnaval de verdade, cheio de detalhes, diferente da transmissão pasteurizada da televisão. Na passarela, o carnaval é feito por gente. Gente que empurra os carros - menores do que a TV demonstra - gente que canta o samba e contagia até torcidas rivais. Gente que rebola, seduz, encanta e mostra porque essa é a festa da carne. Gente brasileira, que vive para o carnaval, embora nem sempre consiga viver dele.
Estar na Sapucaí, ontem, foi ver uma Mangueira indigna de sua tradição e do sexto lugar. Foi ver uma Grande Rio luxuosíssima, mas fria. Uma Vila Isabel linda, diferente da estética usual na escola, com componentes radiantes, samba gostoso de cantar e com um dos carros mais bonitos desse carnaval: o do Cisne. Estar na Sapucaí ontem foi ver uma Portela emocionante, emocionada, com um belo samba e um carnaval confuso demais. Foi ver uma Beija-Flor jogando dinheiro pelo ladrão, caprichando na beleza e pecando no tamanho da escola, longa demais, pesada demais, que deixou o desfile lento e meio chato.
Mas, sobretudo, estar na Sapucaí ontem foi ver passar o Salgueiro, lindo de cabo a rabo, com um samba gostoso, fácil de cantar e capaz de fazer pular o público das frisas, das arquibancadas e dos camarotes. Foi ver a Academia fazer ecoar o som de seu tambor campeão, que batia no ritmo dos corações de todos que ficaram até a manhã desse domingo a postos, só pra ver passar a vermelho-e-branco da Tijuca. Foi ver e ouvir o show da Furiosa Bateria, capitaneada por Viviane Araújo e Carlinhos Brown, cheios de bossa e suingue.
Estar na Sapucaí foi ver, sim, o maior espetáculo da Terra!

PS.: Gustavo, brigadão, viu? E, uma vez mais, parabéns!

PS2.: As fotos que tirei estão na galeria de imagens do blog, no canto direito do vídeo. Confiram!

PS3.: Sim, gamei em Luma e Viviane Araújo!

PS4.: Sim, minhas preferidas da noite foram Salgueiro, Vila e Portela.

PS5.: Sim, senti falta da minha Mocidade. Mas com o carnaval que ela apresentou esse ano, não ganharia nem concurso de melhor bloco de rua...

PS6.: Em seguida vou postar vídeos curtinhos que gravei com o celular...
Postar um comentário