12.3.09

O epitáfio

3° ato. Só em cena, vira-se para a plateia:

- Então o amor é isso, senhoras e senhores? É esse bando de mentiras que nos contaram a vida toda? É esse sentimento dessas pessoas que mentem, que são covardes, que usam umas às outras e que só estão atrás de satisfazer as próprias vontades, por mais que demonstrem e digam o contrário? É isso? (chora copiosamente). É isso que nos dizem ser o mais belo dos sentimentos, o mais puro, o mais verdadeiro? Pois se for, me digam, senhoras e senhores: onde estão essa beleza e essa verdade? (pausa, seca o rosto e segue) Fico pensando em quantas vezes me violentei em nome de um amor que eu julgava merecedor de toda a entrega de que fosse capaz; na quantidade de vezes em que passei por cima dos meus próprios sentimentos, do meu amor-próprio, apenas por acreditar que aquele seria o melhor caminho. O que recebi? Desprezo e uma coleção de mentiras, todas cheirando à covardia e egoísmo. Podem se queixar do meu amargor, podem dizer que estou sendo pessimista. Podem até deduzir que me falta maturidade. Enfim, podem concluir o que quiserem. Mas digo apenas que finalmente descobri que, nesta vida, muitos falam em nome de um sentimento que apenas poucos realmente seriam dignos de mencionar!
Postar um comentário