30.10.07

Leveza

Leveza é sentir a torcida a favor, mesmo quando se parece disputar num estádio tomado pelo silêncio. Leveza é se sentir pluma jogada no ar, preguiçosa, carregada pelo vento e satisfeita por chegar onde quer que seja. Leveza é sorriso nos lábios mesmo quando não se dá conta de que se tem vontade de rir. Leveza é colocar a cabeça sobre o travesseiro, fechar os olhos, e perceber que nada em sua consciência é capaz de lhe render um sono intranqüilo.
Leveza é beijo na testa, mesmo quando se tem uma boca gostosa para beijar. Leveza é prazer sem hora marcada, furtivo ou declarado; planejado ou intempestivo; amoroso ou selvagem. Mas sempre bom.
Leveza é sentir nos olhos de quem se ama a extensão do próprio olhar. É admirar e sentir-se admirado pelo que se é, e não pelo que se pareça ser. Leveza é colo de pai, de mãe, de família. É o dedinho do filhote passeando em sua orelha naqueles minutinhos antes de pegar no sono.
Leveza é envelhecer de mãos dadas com alguém a quem se ame, e não com alguém a quem se tenha habituado. Leveza é, lá na frente, olhar para trás e orgulhar-se mais do que arrepender-se...
Leveza é tudo o que quero pra mim...e quem não quer?
Postar um comentário