15.10.07

Ao mestre...



Já virou um lugar pra lá de comum dizer que o futuro do Brasil está nas mãos da criançada. Eu mesmo já ouvi - e repeti - esse bordão do senso comum uma infinidade de vezes...
Mas o tempo, a experiência e o trabalho têm me mostrado que as coisas não são bem assim, cara pálida. Eles têm me ensinado a reconhecer quando e onde se constrói o futuro. E hoje vejo que essa construção se dá num lugar sem nada de mítico; lugar que não parece com uma daquelas locações de comercial de TV. Por vezes, é um lugar barulhento, agitado, e com condições que não são as mais adequadas. O futuro se constrói, meus caros, na escola.
E é nas palavras, nos gestos, nos sorrisos e na seriedade dos professores que, ao longo dos últimos sete anos, tenho visto que um futuro melhor é possível.
Nesses sete anos, encontrei muitos e muitos professores capazes, esforçados, cientes de seu papel e de seu real poder de transformar as realidades da meninada. E vi, nas ações e nos olhos desses profissionais a força de quem não se conforma em reclamar e torcer por dias melhores; vi, em todos eles, a mão erguida e calejada dos que se erguem para construir uma nova estrada.
Aos professores do Brasil, companheiros de Salto, a minha homenagem por este 15 de outubro.
E a todos os meus professores, meu muito obrigado por terem contribuído, de uma forma ou de outra, para que eu me tornasse o cara que sou hoje.
Postar um comentário