7.7.09

Tô com Liz Taylor e não abro!

Esse funeral do Michael Jackson virou mesmo um circo. Uma vitrine pra um monte de gente que eu não me lembro de ter vindo a público para defendê-lo nos momentos em que o mundo parecia estar contra o Rei do Pop.
Sem contar que acho muito estranha a opção por não fazer um velório público. Era a chance para os fãs de todo o mundo darem o último adeus ao ídolo. E o interesse desses fãs pela oportunidade ficou mais que demonstrado com a imensa quantidade de inscritos no sorteio dos ingressos para o evento - acertadamente apelidado por José Simão de showneral.
Ou alguém acha que mais de um milhão e meio de pessoas queriam ver um show nessa terça-feira?
Preguiça, viu?
Postar um comentário