17.9.08

Quando o passado é um presente...

No meio da multidão de rostos estranhos, enxerguei o teu. Esfreguei os olhos e a realidade se impôs: era um engano, claro. Talvez fruto das minhas vontades mais secretas, aquelas que tento esconder até de mim mesmo.
Talvez fruto da falta que o simples prazer de te ver faz em minha vida...
Assim, sonhando acordado com um encontro que a cada dia parece mais improvável, vou tocando em frente. Gasto o tempo me esforçando para não pensar no amanhã e nem no ontem, e, mais sereno, experimentar apenas o presente que é o tal agora.
Mas agora, pra mim, é tempo de lembrar de você. Lembrar da tua música bonita, da tua voz doce e do teu olhar que fez ruir a muralha de pedra que os amores antigos ergueram em volta do meu coração.
E é assim que sigo. Refém de uma história linda que, ainda agora, é o melhor que tenho pra contar.
E pra lembrar...
Postar um comentário