21.9.08

Desandou...

Ontem, no Caldeirão do Huck, um dos quadros trazia a já tradicional compra de presentes para um aniversariante famoso. Com R$ 50 na mão, Luciano Huck foi ao Mercadão de Madureira comprar as famosas "lembrancinhas" para a homenageada da vez, Fátima Bernardes.
A idéia é bacana e rende sempre momentos muito engraçados e criativos, como no caso da vendedora que sugeriu que Luciano comprasse uma peneira para que a jornalista-aniversariante pudesse "peneirar as notícias ruins". Muito bom!
A coisa só degringolou quando o vendedor de uma loja de ervas recomendou a compra de picão - uma erva que serve, em infusões, para o tratamento de hepatite e icterícia, e, utilizada em banhos ou compressas locais, cicatriza feridas e úlceras. No Caldeirão, picão virou apenas picão e Luciano Huck preferiu o caminho fácil do duplo sentido a explicar as utilidades da planta medicinal.
Eu já tinha achado grosseiro, mas não parou por aí...
Na hora de entregar os presentes, Huck foi até a redação do Jornal Nacional e, no meio da reunião de pauta, começou a contar a história de cada um. Na hora da tal erva-picão - que Fátima não conhecia e pensou ser apenas mato - Luciano Huck optou novamente pela piada grosseira, deixando a jornalista visivelmente constrangida. Fosse outra, Fátima certamente não teria embarcado na brincadeira. Mas deu exemplo de elegância até quando o interlocutor demonstrou ter deixado a fineza de lado.
Uma derrapada desnecessária. E que deixou azeda a mistura do Caldeirão...
Postar um comentário