4.9.07

Universo Paralelo

Essa é a coluna assinada por Muka Nicholls, correspondente do B@belturbo no Second Life. De lá, sempre que possível, ele vai mandar notícias, impressões e comentários sobre os agitos que rolam no espaço virtual mais movimentado da rede.
Ah, e se você está estranhando o visual do repórter, relaxe: é que ele passou por uma recente transformação por lá...
Com a palavra, o próprio:

De tudo o que já tinha ouvido falar em termos de Second Life, nada me surpreendeu tanto quanto a existência de uma igreja. Entrei nela no meu Segundo Dia na Ilha Brasil. Duas moças com roupas bem elegantes vieram me recepcionar e me deram algumas dicas que foram fundamentais para que eu conseguisse roupas e calçados. Sim, porque aqui tudo é pago e eu, caros, cheguei sem um tostão na carteira. Elas me mandaram para uma espécie de "ilha da gratuidade". E me fartei comprando tudo: dos ternos à sunga de praia. Passando por cabelo e pele "mais reais", como dizem por aqui. Vem daí o novo visual que vocês podem conferir nessa foto, que tirei na hora do pôr-do-sol de ontem...
Absurdo comprar um visual novo? Nada diferente dos shoppings de plástica que já existem aí na "vida real". A diferença é que, enquanto tem gente aí gastando rios de dinheiro pra fazer isso, eu "comprei" tudo de graça!
De volta à igreja, já vestindo roupa nova, fui abordado por minhas duas novas amigas. E elas, creiam, tentaram me converter. Como diria aquela música do mundo de vocês: "assustado eu disse NÃO!" e saí da igreja.
Bom, dei uma voadinha pela ilha - é, aqui todos voam e, sabe como é, não tem caos aéreo! A gente não precisa de reversor pra reduzir a velocidade e, na hora de aterrisar, ninguém se preocupa com ranhuras no chão. Pois bem, voei e achei o Cristo Redentor. Até deu pra tirar uma foto sentado no braço da estátua, que também está sendo saudada por aqui como uma das novas maravilhas do mundo.
Tenho me divertido, mas confesso que as pessoas me parecem um tanto estranhas! Os estrangeiros me parecem mais hospitaleiros que os companheiros de Ilha Brasil. Estranho fenômeno...
Na próxima coluna, vou falar dos bicos que rendem dinheiro aqui no SL. Até mais!
Postar um comentário