4.8.07

Uma noite no baú...


VÍDEO EXCLUSIVO: Gretchen, a rainha do 'Freak le boom boom' bota o templo do rock br pra ferver..

"Vem aí uma das mulheres mais sensuais do Brasil", disse a mestre de cerimônias da Festa Ploc antes de Gretchen entrar em cena e ser ovacionada. "Linda", gritavam alguns, num tom que parecia mesclar sinceridade e deboche, coisa bem carioca. Naquele instante, senti o clima que tomaria conta do Circo Voador por toda a noite. E seria um clima de altíssimo astral, de muitas risadas e muita diversão.
Confesso que quando recebi o convite para ir à Festa Ploc pensei bastante. Gosto muito de shows, de música, mas, definitivamente, aquele não é o tipo de música que eu mais admiro. Aqueles não são os artistas que eu julgue capazes de me acrescentar. E como jogar dinheiro fora não é a minha, levei uns dois dias meditando a respeito...
Se esse post existe, caros leitores, é porque eu fui. E não joguei, definitivamente, nenhum centavo fora. Cada tostão foi muitíssimo bem aplicado numa das mais divertidas noites desse ano! A noite em que eu pude, enfim, conferir essa que é uma das festas mais conhecidas do Rio de Janeiro, que detonou em todo o Brasil, há algum tempo, um revival dos anos 80. Anos de minha infância, da infância dos amigos que me acompanharam e de muitas pessoas que estavam no Circo Voador na noite do último dia 3. Acabei me deparando com um clima ótimo e com uma banda - a Ploc 80's - mandando muitíssimo bem nos covers dos sucessos da década que, para muitos, foi "perdida".
Silvinho (aquele, do Blau Blau), Grafitte e Sérgio Mallandro foram algumas das atrações da noite. Houve também um breve show de Kátia. Apesar do repertório meloso, a cantora incendiou o Circo durante a execução - ao vivo - de suas duas canções programadas para a festa. O público delirava, cantando todos os versos num coro que me transportou para o auditório do "Cassino do Chacrinha". Mas, apesar do número caloroso de Kátia, o show teve quatro donas: Gretchen e As (três) Paquitas.
Gretchen, meus caros, é um espetáculo! Cantou "Conga la conga", "Mordida de Amor" (do Yahoo, lembram?) e todas aquelas suas músicas permeadas por incontáveis gemidinhos, muitas caras e bocas (devidamente recheadas de botox e restilane, claro!). Entre uma e outra jogada de cabelo, um amigo reconheceu (pertinentemente) a influência da musa sobre outro fenômeno pop: Joelma, do Calypso. E não dá pra negar: Carla Perez e companhia devem muito à pioneira do rebolado nacional! E se o bumbum combalido pelo passar dos anos obrigou a Gretchen a aumentar o comprimento da saia e do short, ela anunciava, feliz da vida, "as costas novas, o rosto novo, a perna nova, a barriguinha nova". E o público morria de rir com a cantora mostrando que também sabe rir de si mesma. Depois de "Je suis la femme" - e do seu clássico "piri-pirim-pirim..." - como todas as outras, executadas em playback, a cantora anunciou: "Agora eu vou cantar uma música brega". Aí não contive o riso. "E o que ela cantou até agora? Não era brega?", disse a um amigo.



VÍDEO EXCLUSIVO: Fechando a noite, As Paquitas também fizeram uma apresentação calorosa, com direito a dublagens da voz da ex-patroa...

Com As Paquitas no palco, pensei que se a vida não tivesse sido tão generosa com Xuxa, ela provavelmente também estaria ali, cantando seus sucessos que já chegaram a vender 3 milhões de discos. Felizmente, não foi assim. E as três loirinhas - meio loirudas - dublaram velhos sucessos que enchiam de alegria milhões de crianças nos tempos do "Xou da Xuxa". Dublando até a voz da ex-chefe, mandaram ver em "Tindolelê" e "Lua de Cristal", entre outras. E nesse momento, a festa ganhou um quê de catarse: várias moças subiram ao palco, apesar dos apelos dos seguranças para que não o fizessem, só para cantar e dançar com as ex-assistentes de Xuxa. Seria um desejo antigo (de ser paquita) vindo à tona? Seria apenas aquela nostalgia boa dos tempos de criança? Seria efeito do álcool? Nunca vou saber. Mas, como diria aquele personagem do Suassuna: "só sei que foi assim..."
No fim de tudo, depois de horas e horas rindo, conversava com a turma - a quem agradeço pelo ótima companhia - e lembrei que a frase mais forte da noite veio de Gretchen (e isso não é piada, e nem um misto de sinceridade e deboche). Uma frase que dá apenas a dimensão de como deve ser complicado para um artista perceber que o auge já passou. E que, muito dificilmente, voltará um dia. No fim de sua apresentação, a rainha do "Freake le boom boom" disparou: "Se eu estou aqui, AINDA, é por vocês". Ao que um amigo de um amigo meu respondeu: "Nossa! Ela ainda joga esse peso nas nossas costas!". Bom, a frase dele, certamente, misturava deboche e franqueza...

Postar um comentário