27.4.08

Pra sempre (no) presente...

Passe o tempo que passar, vente o vento que soprar e caia a chuva que as nuvens despejarem; nada vai mudar. Passem quantos outonos mais, caiam todas as folhas secas que há em todas as árvores do mundo; é desse jeito que tudo vai seguir.
É no presente que vou conjugar sempre todos os verbos que me ajudem a traduzir a alegria que sinto por ter você em minha vida. Porque as lembranças colecionadas são tão vivas que me fazem sentir, ainda agora, que tudo é real e assim será para todo o sempre. É agora e presente que sinto o sabor dos teus lábios nos meus; e agora também é a hora em que percorro teu corpo com minhas mãos sempre sedentas por uma nova descoberta nessa maravilha que é você. É agora que te abraço e me aqueço, que te entrego o meu desejo e faço do encontro de nossos corpos o melhor dos momentos para se ter e dar prazer.
É agora que te amo. E também é agora que sei que será sempre no presente que vou poder dizer do quanto é bom amar você...
Postar um comentário