7.2.08

Uma (muito) boa tarde!!!

Volta ao trabalho: arquitetura linda, jardim cheio de cor, arrepio e sorrisos em tarde musical com jovens cheios de sonhos e talento...

Desço do ônibus da TV em frente a um lindo casarão, cravado no meio do bairro de Botafogo, na Zona Sul do Rio. Entro e o clima do lugar não poderia ser melhor: lá dentro, em cada cômodo, a atmosfera é toda musical, respira-se dós, fás, sis, rés e etc. Estou no Museu Villa-Lobos, um lugar que tive o prazer de conhecer na tarde de hoje, tarde de reencontro com os meus amigos do Salto e com o meu trabalho.
A casa é imponente, belíssima! E, enquanto procuramos nossos contatos no lugar, vou me deparando com trompetes, flautas - doces e transversas - violinos, cellos, clarinetes, violões e vários outros instrumentos que sequer conheço; todos nas mãos de jovens cheios de vontade de aprender e de sorver tudo de bom que a música pode nos dar. São jovens participantes do processo de selação para o projeto Villa-Lobos e as Crianças...
Ali, no meio de um jardim lindo, converso com esses jovens de olhos brilhantes. Meninos e meninas de 16, 17 anos; todos já completamente apaixonados pela música, todos com sonhos por realizar, com conquistas e vitórias pra contar.
Ouço aquela moçadinha tocar e fico arrepiado com a sutileza daquela orquestra - ainda em formação e já tão bonita; com a força que todos demonstram ao empunhar seus instrumentos e, cada qual do seu jeito, dar sua contribuição para que o todo seja harmônico e belo; e com os olhares tão sérios, graves, que quase destoam de rostos tão jovens, quase inocentes. Olhares de quem lê partituras e notas magistralmente pensadas por Heitor Villa-Lobos.
No fim das seis horas de gravação, apesar de uma dor-de-cabeça daquelas, saio do Museu com um sorriso no rosto. E com a certeza de que não poderia ter encontrado um jeito melhor de voltar a fazer o que amo depois das férias...
O resultado dessa tarde você vai conferir no Salto 2008! E já posso adiantar que é imperdível!
Postar um comentário