12.2.08

Presente das marés

Distraído navegando pelas ondas do mar que é a internet, viu quando o mensageiro instantâneo fez pular na tela uma nova mensagem; algo como a versão para o século XXI dos bilhetes enfiados em garrafas e jogados ao mar. Nem precisava de foto, nem precisava de nome: já sabia o que as ondas traziam ao seu monitor...
A versão digital da garrafa recém-chegada à sua ilha dizia:


E nesse pique-esconde vamos em frente, ora mostrando mais que queremos, ora escondendo um tantinho mais só pra despertar o interesse pelos mistérios de cada um. Correndo para esconder e achar, elevamos temperaturas, derrubamos vergonhas, aguçamos sentidos. E no compasso da respiração de quem se esconde, ofegante, torcemos para que dessa brincadeira surja um encontro dos bons...

Depois de ler e reler, olhou para a janela do messenger e sorriu, imaginando o que responder. Em sua mente, porém, perguntas pairavam por todos os cantos:
Será que pode ser? Será possível que seja? Será que será?
Postar um comentário