21.12.08

Os famigerados 10%...

Direto e reto: nunca entendi a lógica dos tais 10% para os garçons! Não posso compreender que alguém que tenha por ofício atender o público receba gratificação apenas por cumprir essa obrigação. Sem contar que parecem cada vez mais raros os garçons que sabem atender bem.
Pra mim, concordar com essa taxa seria o ponto de partida para cobrar 10% a cada programa que apresento, a cada roteiro que escrevo, a cada entrevista que gravo...
Você recebe 10% a mais por fazer o que deve?
Mas quando o garçom é gente boa, não me nego a pagar a tal percentagem. Não foi o caso de um garçom que atendeu a mim e a meus amigos na madrugada de sábado, numa famosa pizzaria da Lapa - filial da mais conhecida pizzaria do Leblon. Além de demorar a vir nos atender, trouxe louças mal lavadas, a quantidade de talheres era insuficiente para o número de pessoas à mesa, um dos copos estava quebrado e as bebidas só vieram muito tempo depois da pizza. Ou seja: um serviço de quinta.
Não preciso dizer que, depois de um atendimento tão ruim, decidi não pagar os 10%. Pedi a conta e - claro - lá estava a taxa extra, cujo pagamento é facultativo. Diante do valor entregue, o garçom questionou, dizendo que o total era maior - obviamente, ele estava contabilizando os 10% - e eu logo disse que nós não pagaríamos a gorjeta.
Ele saiu cuspindo marimbondos e, se pudesse, teria me matado. Mas não pode.
Assim como eu não posso aceitar ter de pagar mais a alguém que presta um serviço tão desqualificado.
E você? O que acha desses 10%, hein?
Postar um comentário