4.8.08

Escombros

E foi então que, num dia como outro qualquer, depois de ter os momentos de alegria e tristeza que o destino se encarrega de distribuir ao longo de nossa cota diária de 24 horas, constatou que era de cartas o palácio incrível onde imaginara que, um dia, aquela incrível história poderia vir a acontecer. Cartas tão leves que dispensaram que o Lobo Mau ensaiasse qualquer sopro: desabaram apenas pelo próprio peso.
O peso da verdade...
Espalhadas pelo chão, eram a mais perfeita representação do fim de um sonho.
Dolorido fim infeliz...
Postar um comentário