6.5.08

Sobre as greves francesas...

Leio em O Globo que os jornalistas do Le Monde fizeram uma greve para protestar contra possíveis demissões. Resultado? O jornal, um dos mais influentes do mundo, deixou de circular pela terceira vez em menos de um mês.
Imediatamente lembrei da coisa mais inusitada que vi quando estive em Paris. Caminhando pelas imediações do Arco do Triunfo, passei em frente a uma loja e notei que alguns funcionários estavam colocando, na calçada, aquela típica fitinha preta e amarela - aqui, usada pela Defesa Civil em caso de interdição, por exemplo. Fiquei preocupado, imaginando que alguma marquise pudesse estar ameaçando os pedestres, acostumado que estou aos nossos problemas cotidianos. Eis que minha companhia me esclareceu: os próprios funcionários do estabelecimento estavam lacrando as entradas para uma greve por melhores salários e condições de trabalho. Detalhe: a loja era uma filial do Mc Donald's, um dos maiores ícones do capitalismo moderno.
Dois causos vindos da terra do Sarkozy e que me fazem pensar em como é dura a nossa realidade cá no "novo mundo". Ou alguém imagina jornalistas de um grande jornal fazendo greve e uma filial qualquer de qualquer rede de fast-food lacrada pelos próprios funcionários para um protesto qualquer? Em qualquer um dos casos, aposto, o resultado seria uma interminável fila de candidatos às vagas na porta dos estabelecimentos. E os "agitadores" amargando a temível visita ao departamento de recursos humanos. Alguém duvida?
Mas um dia a gente chega lá...
Postar um comentário