10.5.08

parati.com

Quando ligou o computador e abriu a caixa de mensagem, viu que havia uma nova. Clicou no título em negrito com a curiosidade lhe fazendo o coração palpitar. "Valeu" era o assunto daquele e-mail inesperado. E muito, muito desejado.
A mensagem surgiu na sua tela num piscar de olhos. Automaticamente começou a leitura...

"Já se vão alguns meses nessa confusa história que o destino resolveu colocar em nosso caminho. Alguns meses de muito papo e de idas e vindas não menos confusas. Tempos em que, sem dúvida, ganhei uma pessoa pra poder contar em todas as horas. Alguém que torce por mim, que se preocupa com meus caminhos e que me dedica um carinho que consigo enxergar em cada símbolo de 'coisa boa' que surge em minha tela. Ou que vejo em teus olhos quando nos encontramos.
Nesses meses, sei que tenho recebido muito mais do que dado. Sei que as coisas ainda não estão como gostaríamos que estivessem, mas penso que não estão mal. Muito pelo contrário. Vejo uma história ser construída como se deve fazer com prédios: a começar pela fundação, cuidadosamente preparada. Um processo um tanto quanto metódico, talvez também chato e lento demais. Mas um processo necessário quando se pensa numa obra que não se deseja ver ruir. E penso que é assim, firme e forte, que queremos o nosso prédio.
Nessa obra, repito, você tem mais méritos que eu. Tem uma entrega absurda, que ora me assusta e ora me atrai. A cada dia, essa tua fragilidade disfarçada de força me toca um pouco mais, conquista um pouco mais de mim e dos meus pensamentos. Toma de assalto as idéias de uma vida solitária e as saudades e dores de um passado não tão distante. E não tão passado. Mas que, depois de você, sinto se tornando também cada vez menos presente...
Foi num outro dia que notei como essa intensa entrega que você me dedica está me mudando, transformando meu modo de ver as coisas e o peso da nossa obra esquisita. Eu te dizia que, caso as coisas dêem certo, você será uma grande supresa em minha vida. De um jeito que eu não pude ver, mas imagino, me respondeu apenas - com os olhos brilhando e é isso o que imagino - que eu já sou, aconteça o que for - uma grande surpresa na sua vida.
O que dizer? O que fazer? Por ora, passando da fundação para o alicerce, digo apenas que minha grande surpresa já veio e é você! Digo que essa sua entrega é das coisas mais tocantes que já pude experimentar e que é ela a responsável por me fazer (re)começar a crer. A crer em nós e em tantas outras coisas das quais a vida tem-me feito duvidar...
Por tudo isso, obrigado! E por todo o mais que vai vir, saberei agradecer. Cada hora de um jeito e não apenas com palavras..."


Clicou no "X" no alto da janela e sentiu o coração se acalmando dentro do peito. E pensou que, às vezes, é no inesperado que mora aquilo que mais esperamos...
Postar um comentário