17.7.07

Ainda sobre as vaias...

Jornais de hoje ainda repercutem o episódio das vaias ao presidente. Para blogueiro, manifestação veio em momento inoportuno...

O episódio das vaias ao presidente da república no Maracanã, capa da Folha de S. Paulo e do Globo de hoje, também foi a pauta mais quente dessa segunda-feira, dia 16. Pelo menos nas informais conversas de amigos. Ouvi a história a caminho do trabalho, no trabalho e, ainda, na volta, a caminho de casa. Ouvi quem fosse a favor e os que eram contra ao coro hostil ouvido pelo presidente na última sexta-feira. Os partidários das vaias alegavam: "Esse é um país democrático! O povo tem o direito de se manifestar!". Os que reprovaram a atitude também se justificavam com base nos princípios da democracia: "Ele foi eleito pela maioria! O povo tem que respeitar essa escolha, e se manifestar nas urnas".
A minha opinião já estava formada desde o instante em que vi as imagens: julguei a manifestação desnecessária e, pior, completamente inoportuna! Tenho até dificuldade para ver uma relação com qualquer instinto democrático. O que vi ali foi uma clara demonstração de uma falta de educação que não aceito que seja apontada como uma tônica entre os brasileiros. Fiquei surpreso e envergonhado com a atitude daquelas 90.000 pessoas que, talvez até sem perceber, tiraram um pouco do brilho da bela festa de abertura do Pan. Jogaram no ventilador um problema que é só nosso, sem reconhecer os méritos (também nossos) de ser sede de um evento tão importante. E, além disso, sem reconhecer que o Governo Federal entrou de cabeça para fazer desse Pan um marco na história do esporte brasileiro.
Não me cabe julgar se o presidente merecia ou não ser vaiado. Essa é uma opinião muito particular. O que acho é que, definitivamente, aquele não foi o melhor momento para esse tipo de manifestação. Ou alguém se lembra de ter visto o Bush ser vaiado nos EUA? Chávez, na Venezuela? Eu, honestamente, não lembro! A legitimidade da tal insatisfação que fez Lula ouvir aquela vaia na sexta-feira eu também discuto...pra mim, o coro tem, na verdade, muito de galhofa. Muito da alma de torcedor de futebol que xinga a mãe do juiz, xinga os jogadores da equipe oponente e, como dizia Nelson Rodrigues, "vaia até minuto de silêncio".
Sempre detestei vaias porque sempre me coloquei no lugar de quem a ouve sem chance de defesa. E se já achei lastimável o episódio envolvendo o presidente, acho ainda pior quando o alvo das vaias é um atleta. E essa tem sido uma constante nesse início de Pan: torcida vaiando todo e qualquer atleta que se oponha ao Brasil. Total falta de espírito esportivo...
Postar um comentário