22.7.07

Sobre o novo Harry Potter...

Para blogueiro, bruxinho em fase aborrescente dá o tom no filme mais morno da série

Vi ontem o mais novo lançamento cinematográfico da griffe Harry Potter. Nunca li nenhum dos livros da série - tentei, mas achei a leitura enjoadinha demais, não fui "capturado" pelo universo fantástico proposto por J.K. Rowling no mais recente - e duradouro - fenômeno pop da literatura mundial. Sempre me contentei, então, com os filmes da série. Gosto dos ingredientes levados para as telas e dos conflitos enfrentados pelo bruxo (sim, agora ele é um ex-bruxinho) vivido por Daniel Radcliffe. Inclusive os conflitos psicológicos.
Fui ao cinema cheio de expectativa e, confesso, acabei bem decepcionado. "Harry Potter e a Ordem da Fênix" é, na minha opinião, o mais fraco filme da série. Primeiro, pelo clima que toma conta do protagonista ao longo de boa parte da história: solitário, cheio de questionamentos e um tanto emburrado demais pro meu gosto - nem o primeiro beijo devolve o humor ao cara! Além do ovo virado do herói, pesa contra a produção uma certa barriga bem no meio da narrativa. Um período de 10, talvez 15 minutos em que os acontecimentos se dão de forma muito lenta, o que pode levar o espectador a lutar contra o sono na poltrona do cinema. Ou, como aconteceu comigo, a ser vencido por ele...
No fim, a narrativa recupera o fôlego. O final é cheio de efeitos muito bem realizados - uma das principais marcas da série - e traz de volta ao nosso herói da magia o espírito de um Harry Potter que dá valor à amizade e está de bem com o sorriso.
Há novos personagens e eu destaco Dolores Umbridge, interpretada por Imelda Staunton. A detestável professora cruza o caminho dos alunos de Hogwarts e arranca ódio - e algumas risadas - de quem acompanha a história. Além da mala, com um visual que me pareceu inspirado no da rainha da Inglaterra, há também Luna, uma nova amiga da turma do Harry. Trata-se da loirinha que aparece no canto esquerdo da montagem que ilustra esse post, interpretada pela estreante Evanna Lynch. A moça tem um ar meio misterioso e, por vários momentos, dá a impressão de não estar "pura" das idéias...
Pra quem é fã, vale a pena não deixar de ver. E torcer para que os filmes finais recuperem o fôlego que a franquia tenta manter desde o primeiro lançamento da série. Agora, pelo que vi na livraria, também ontem, vem mais desafio para a turma de roteiristas: o recém-lançado último livro com as aventuras do bruxo mais famoso do planeta tem mais de 750 páginas! Só com muita mágica pra adaptá-las e criar um filme fiel à autora e à paixão dos pottermaníacos...
Postar um comentário