26.10.06

Zen

Num determinado momento do dia, parou pra pensar naquilo. Que maluquice sentir uma alegria que não tinha razão de ser!!! Não tinha uma causa aparente, não tinha um motivo isolado. Mas era grande mesmo assim, e se traduzia numa sensação de bem estar; numa leveza de mente e espírito. Uma alegria que não era da boca pra fora, que não era aquela do sorriso fácil. Era aquele tipo de felicidade que vem lá de nem-se-sabe-onde. Verdadeira, pura. Intensa.
Pensando bem, se todos concordam que é bom rir por bons motivos, também não poderia achar nada ruim estar feliz sem motivo algum...
Postar um comentário