1.4.06

Um mentiroso chamado Babaioff*

No dia que ficou conhecido como o dia da mentira, nasceu um cara que teria esse ofício: mentir. Mentir identidade, mentir emoções, mentir jeitos de ser e de falar. Mentir até o latido de um cão. Mas, ao contrário do que acontece aos mentirosos em geral, não se tem raiva dele. Sabemos, todos, que suas mentiras nos fazem bem! Elas nos deixam alegres, trazem sorrisos e lágrimas inesperados e sinceros...Conheci este Armando, o mentiroso profissional, pelos jornais. Precisava de alguém - jovem, em início de carreira, e bem sucedido - pra ser personagem de uma matéria. E lá estava esse cara, de nome diferente. Preenchia todos os quesitos para "estrelar" minha reportagem. O contato foi simples. Gravamos a matéria em Copa, no calçadão. E descobri que o cara é bom de papo quando fala suas verdades também...!Por sermos quase da mesma idade - sou quase um ano mais velho - acabei me identificando. Gosto de histórias de jovens batalhadores e bem sucedidos. A matéria ficou pronta e fiz questão de não perder o contato com ele. E não perdemos. Gente boa, até se ofereceu pra ler os textos que eu - e só eu - achava que pudessem ter algo a ver com teatro. Acho que não leu também, mas nunca teve a indelicadeza de confessar!
Um dia, um domingo, esse cara me deu uma ótima notícia: estava prestes a contar a maior mentira de sua carreira. Uma mentira na tevê, no horário mais assistido! Mentiria ser um tal Felipe, meio metido a valentão. Desejei sorte primeiro; depois, merda, como se deseja aos mentirosos profissionais no palco de todas as mentiras: o teatro. E é isso que te desejo, meu amigo: merda! Hoje e sempre! Com este Felipe e em todas as outras mentiras de sucesso que, tenho certeza, você ainda vai contar nessa tua trajetória!
*Armando Babaioff, aniversariante do dia. Uma das melhores coisas na minha profissão é ter contato com tanta gente, com tantas histórias bacanas. Esse cara - e sua história - são mais uma prova disso.
Postar um comentário