6.4.06

O quebra-cabeças da caixa de sapatos


Um belo dia, sem razão, abriu o armário. Pegou a caixa e abriu. Não doía mais rever tudo aquilo, reviver todas aquelas situações. Rever todas aquelas pessoas, revisitar tantos lugares. Impressos no papel, momentos de uma felicidade que não poderia ser negada. Mas que, sabia, não voltaria.
Lembranças de um tempo feliz, que acabou tristemente, as fotos continuavam ali. Nelas, pessoas sorrindo, como se não soubessem de tudo o que veio depois. Examinou uma por uma. Queria certificar-se de que não havia mais nenhum sinal de pesar naquela sua atitude. Nenhum outro sentimento que não a determinação. E teve essa certeza.
Viu tudo, lembrou de tudo. Reviveu tudo. Depois, com a tesoura, recortou tudo. Picou tudo. No saco de lixo, achou graça de ver sua vida transformada num quebra-cabeças. Um brinquedo que não tinha mais graça, que não queria montar mais. Não com aquelas peças; não mais com aqueles personagens. Fechou a lata. De volta ao quarto, abriu novamente o armário. Pegou a câmera digital, pôs pilhas. Era o início de uma era de novos cliques...de novas peças!
Postar um comentário