13.10.09

Maitê Proença, os patrícios e o politicamente correto...

O mundo desabou sobre a cabeça de Maitê Proença hoje, depois que um vídeo de 2007, exibido originalmente no Saia Justa, foi descoberto pelos portugueses. Ao contrário do que houve há 509 anos, a descoberta não encheu de brilho os olhos lusitanos. Fazendo piada com o portuguese way of life, Maitê irritou os patrícios e foi chamada de preconceituosa. A pendenga repercutiu tanto que, hoje mesmo, a eterna Dona Beija gravou um vídeo, pedindo desculpas pela polêmica brincadeira.
Esse episódio dá a medida de como o fenômeno do politicamente correto tem se fortalecido nos últimos tempos. E de que como esse fato ameaça o humor. Isso porque, quando o assunto é fazer graça, reparem, em 99,9% dos casos, a piada gira em torno de rir de...alguém. E ninguém ri do que lhe parece igual. A gente - que é humano - ri do diferente. Sempre foi, sempre será assim! O limite, claro, é o bom senso.
No polêmico vídeo, Maitê não diz: "os portugueses são burros!". O que ela faz é rir dos procedimentos e dos costumes desse povo que, de fato, são muito diferentes dos nossos. E isso não faz deles menos ou mais importantes que nós. E quem não ri? E qual dos portugueses não ri do que considera excêntrico no comportamento brasileiro? O que Maitê Proença fez foi uma caricatura desses costumes, algo muito comum, inclusive, entre os que têm familiares portugueses...
Essa história tem, ainda, um outro dado. Que, ao menos pra mim, ficou claro: nós, brasileiros e portugueses, estamos muito distantes. E não há acordo gramatical que seja capaz de encurtar essa distância. É a distância da mágoa: da nossa parte, por termos sido colonizados, explorados e forjados -como povo - de um modo do qual discordamos profundamente; da parte deles, por terem sido deixados por seus governantes em momento tão duro de sua história e, assim, passarem a ver a criatura brasileira crescer, aparecer e superar o criador português.
Uma distância boba, que precisa ser superada, deixada de lado. Nesse dia, enfim, riremos, cá e lá, de todas as piadas, estereótipos e situações típicas de portugueses e brasileiros.
E você, o que acha?
Comentaê!
Postar um comentário