21.10.09

E Preta Gil grava seu primeiro DVD...

Abertura do show: feliz, cantora celebra com seu fiel público o sucesso de show que está há três anos em cartaz...


Depois de três anos lotando as boates moderninhas com a sua Noite Preta, a cantora cumpriu a promessa e registrou o show na The Week, a casa que tornou célebre a mistura de espetáculo de música e festa comandada por Preta. E acertou na medida: o fiel público reconheceu o gesto da cantora e, mesmo numa noite de terça-feira, lotou a boate para conferir a gravação.
O show foi um pouco menos caloroso que o habitual. E aí não vai nenhuma crítica à cantora: gravações de dvd, meus amigos, sempre acabam comprometendo o ritmo das apresentações. Ainda mais em tempos em que a tecnologia dos telões de leds - adotados por 10 entre 10 artistas - mostra tantas falhas. Aliás, fica a pergunta: por que insistem com os leds se eles costumeiramente dão pau, hein?
A espontaneidade de Preta Gil também ficou limitada e, demonstrando total interação com seu público, ela logo anunciou que os (habituais) palavrões ficariam de fora do roteiro dessa vez. Do contrário, alertou, "vai ser o primeiro dvd com piiiiiiii da história". A plateia, claro, morreu de rir.
No quesito som, a The Week deixou a desejar. Em alguns momentos era simplesmente impossível ouvir o que Preta cantava. Mas todo o irreverente repertório esteve lá: dos pagodes baianos ao Baba, Baby; de Paralamas do Sucesso a Xuxa. Sem falar na homenagem à apresentadora Angélica, que estava num dos camarotes. Fora do roteiro, Preta entoou versos de Vou de Táxi. E o público, claro, embarcou.
O momento mais bonito do show foi a releitura de Drão, com três gerações da família Gil no palco. Gilberto, Preta e Francisco (filho dela), no entanto, emocionaram o público mais pela delicadeza do momento do que propriamente pela beleza do registro.
Ana Carolina foi a outra convidada da noite. Juntou-se a Preta em Sinais de Fogo, composição da mineira gravada pela filha de Gil. E as luzes vermelhas deram o tom caliente do número, que contou com gritaria fervorosa das moças da plateia, as cantoras dançando juntinhas no palco e, no fim, um beijão das duas.
Preta brincou o tempo todo, divertiu o público nos intervalos entre as músicas e aparentava estar realmente muito feliz. Não é pra menos. Noite Preta pode não ser uma revolução em termos de show, Preta pode não ser a maior cantora da face da terra, mas é, sem dúvida, dona de um estilo próprio e de um fã-clube que saberá valorizar o registro desse já vitorioso show.
Postar um comentário