13.6.06

Feelings

Os momentos de espera - sempre detestáveis em outras situações - tinham um sabor diferente. O cansaço do fim do dia dava lugar à felicidade por mais um encontro. Breve, como todos o eram. E também feliz; e também único. E inesquecível, mesmo para uma memória pequena, preguiçosa e relapsa como a sua.
E depois de tudo, sentia que aqueles breves encontros recarregavam suas baterias, davam-lhe uma dose extra de energia para encarar a rotina de incertezas, chateações e frustrações, que temperam a existência de tantos de nós.
Ali, de pé, enquanto aguardava mais uma vez, pensou em tudo isso. Em como aquele seu prazer por esperar era paradoxal; até inimaginável para muitos de seus amigos mais chegados. E mesmo triste, riu quando se abriu a porta de madeira e, finalmente, viu surgir sorrindo a razão daquela alegria quase sem sentido que brotava em seu peito e reluzia dentro do seu olhar.
E teve a certeza de que os bons sentimentos são capazes de transformar tudo ao nosso redor. E, também, tudo o que está dentro de nós...
Postar um comentário