7.6.06

Ouça a voz...

Numa fração de segundo, seus olhos fugiram dos outros olhos. E pensou em como eram bons aqueles encontros furtivos; em como era bom falar das coisas bobas da vida - e, também, de tudo de sério que há nela. Como era bom quando riam juntos e quando faziam planos juntos. Em como era bom estarem frente a frente, ainda que em silêncio, certos de um sentimento que parecia gritar.
O que gritava? Ninguém sabia. E nem era preciso... bastava saber de onde vinha aquela voz vertida em grito...e o que ela pedia: mais um beijo!!!
Postar um comentário