2.9.09

Taxista docinho...

Nesse exato momento, estou no Santos Dummont, aguardando o horário de embarque do meu voo pra Sampa. Não sei o que deu na minha cabeça pra acordar tão cedo e chegar aqui com quase duas horas de antecedência. Então, já viu...navegar é preciso!
Como se estivesse intuindo que eu teria um período prolongado de ócio criativo no aeroporto, o taxista que me trouxe até aqui me premiou com uma daquelas pérolas impagáveis. Depois de ser fechado por uma motorista um tanto leviana - sem preconceitos, mas ela era mulher, do sexo feminino mesmo!!! - o cabra saiu-se com essa:
- Eu sabia que ela ia fazer essa merda, meu amigo! Tava de olho nela! - fez uma pausa dramática para, em seguida, concluir brilhantemente - Se ela for tão boa de cama quanto é na direção, hein? O marido tá f...!
Sutil como um rinoceronte, não?
Postar um comentário