4.9.10

Dias tristes...

Norminha, o gato que fisgou o coração de Robinho, meu cachorro...
Os amigos que me seguem no Twitter sabem que essa semana eu vivi uma experiência bem triste. Amante dos animais, acabei atropelando uma gatinha da vizinhança. A cena foi muito chocante. Soraya - a gatinha - foi levanta para o veterinário mas precisou ser sacrificada. Passei dois dias mal, sem conseguir dormir direito e com aquelas imagens horríveis rondando minha cabeça. Rezei por Soraya e, graças a Deus, já não penso no caso com tanta frequência.
Soraya é mãe de Norminha. Lembram de Norminha? O gato - sim, macho! - que andou flertando com Robinho, meu cachorro. Contei a história aqui. E hoje, vejam vocês, soube que Norminha morreu. Ele estava resfriado, teve uma piora súbita e não resistiu. O clima seco tem sido implacável também com os animais...
Robinho perdeu o pretendente. E eu perdi um pouco da graça nesse sábado.
Eu gosto muito de bichos. E realmente me entristeço com essas notícias. Quem acompanha o blog sabe que falo dos animais sempre com humor, que é a melhor das lentes que a gente pode usar pra ver melhor esse mundo doido e todos aqueles a quem amamos.
Talvez quem não goste de bichos tenha alguma dificuldade para entender essa minha tristeza. Talvez até ache um pouco ridículo um marmanjo se entristecer com as mortes de dois gatos. Talvez digam que eram "apenas" gatos...
Por todos esses eu lamento. Lamento por não terem podido viver a alegria de ter esses seres tão amorosos, tão generosos e tão engraçados por perto. Por não terem compartilhado com eles seus momentos de alegria e infortúnio. E por não terem podido experimentar a sensação de um amor inocente, puro e imenso. Um amor provado e reforçado a cada dia, em olhares dóceis, na espera para o jantar e na festinha feliz a cada volta para casa.
Amor raro nessa época em que humanos cada vez mais parecem se empenhar em reforçar o que há de pior em seu lado animal...
Postar um comentário