13.6.07

O enigma da pedra...

'A Pedra do Reino': belas imagens, elenco afiado e bonita trilha sonora costuram uma narrativa que, na versão televisiva, parece um tantinho confusa demais...
Se você espera uma crítica séria, cheia de pretensão, desista. O papo é amador, eu sei. Mas é honesto, de quem acredita que a televisão tem que fisgar o espectador de cara. E por mais que se aprecie belas imagens e toda a sorte de perfeição técnica (desde o figurino até a interpretação dos atores), uma boa (e compreensível) narrativa é fundamental nesse veículo tão imediatista.
Dito isso, reforço: assumir carências e dificuldades não é nada simples. Mas vou fazê-lo aqui: vi os 10 primeiros minutos do episódio de estréia da minissérie "A pedra do Reino", na Globo. E só! Agoniado, desisti da empreitada. As imagens são lindas, a fotografia é primorosa, mas...simplesmente não entendi nada! A história (que nem cheguei a captar qual é) não me prendeu. Boiando diante da televisão, resolvi capitular antes de me perceber olhando pra telinha como um daqueles visitantes de galerias de arte que contemplam os quadros abstratos buscando enlouquecidamente atribuir-lhes um sentido.
Desliguei a TV, migrei pra rede e Gustavo, o mesmo amigo do post anterior, resolve compartilhar comigo suas impressões sobre a estréia da noite. "O pior não é ficar em casa. É ficar em casa, assistir à Pedra do Reino, achar lindo e não entender nada!", disse ele. Em outro scrap, Gustavo revela sua preocupação com as impressões do público. É quando entra em cena Léo, o amigo do meu amigo, que eu não conheço mas já defino como um frasista de mão-cheia! E Gustavo me relata uma conversa com Léo sobre a minissérie: "Quando acabou, ele (Léo) falou: "Meu Deus, fico pensando na dona-de-casa que ficou confusa com a Miami de 'América', que não sabia quando a história tava nos Estados Unidos e no Rio... Imagina nessa aí ". Morri de rir! E continua a transcrição das palavras de Léo: afinal, será que o enigmático capítulo deixou os telespectadores estressados? Léo não tem dúvidas: "A Christiane Pelajo em vez de dizer "boa noite" no Jornal da Globo, deveria dizer: calma senhoras, tudo vai voltar ao normal!"
O papo via scrap termina com mais uma ótima frase, de autoria de um outro amigo (frasista?) de Gustavo: "O Luiz Fernando Carvalho ficou tão preocupado com a fotografia que esqueceu a história! Acho que nem o Ariano Suassuna entendeu!"
Genial! E como é bom ter amigos que bóiam junto com a gente, né?
Postar um comentário