22.8.10

RESENHA: Quando o canto (de Roberta Sá) é reza...

Se fosse desafiado a usar apenas um adjetivo para descrever o novo CD de Roberta Sá, não vacilaria: brasileiro. Quando o canto é reza, lançado pela cantora nesse mês, é um disco que tem a proeza de traduzir a brasilidade da nossa música. Saudando as composições de Roque Ferreira, Roberta Sá coloca seu (cada vez mais) belo canto a serviço de um repertório irretocável.
Evocando orixás, louvando o vestido de chita ou cantando deliciosamente a cocada, Roberta - que tem a companhia do Trio Madeira Brasil no disco - usa sua voz afinada para nos conduzir a uma viagem por um Brasil que a gente chega a esquecer que existe. A simplicidade das letras contrasta com a suntuosidade dos arranjos - adornados por cordas e econômico com a percussão. O resultado: o CD não resvala na obviedade e soa original, sofisticado e, por mais que pareça contraditório, simples. Agrada já na primeira audição.
Canções como Zambiapungo, na qual um dos versos diz "Tempo me temperou com dendê", são tão melodiosas que se torna praticamente impossível não querer cantar junto. Em Cocada, Roque Ferreira faz um refrão ligeiro e divertido, que parece talhado para brilhar na voz de Roberta Sá: "Trepe no coqueiro / tire o coco e vá quebrar / Quebre o coco e tira a casca / Pegue o coco e vá ralar". Além da vontade de comer cocada, a faixa desperta o desejo de soltar a voz e cair no sambinha gostoso criado pelo baiano.
Água da minha sede, conhecida na gravação de Zeca Pagodinho, ganha novo registro. Surge como outra canção nesse disco, valorizada por um arranjo rico em harmonias. A letra ganha ainda mais força e a poesia de Roque Ferreira toma o primeiro plano. Irresistível como Orixá de Frente, outra pérola desse repertório valioso. Narrando a beleza da "preta", Roque Ferreira cria versos que parecem saídos de uma canção de Caymmi. "Venha ver como é lindo uma preta na roda / Toda se bulindo, Iaiá / O pano da costa do ouro / Cobrindo o colar". Dois mestres brasileiríssimos!
Poderia ficar aqui enaltecendo a qualidade dos versos, dos arranjos e a lindeza do canto de Roberta Sá. Mas acho que me tornaria repetitivo. O disco é belíssimo e imprescindível para quem é fã de MPB.
Preciso dizer que recomendo MUITO?
Que venha o show!!!
Postar um comentário