21.1.11

Pedido aos ponteiros...

Encaro o relógio com a ansiedade de quem tem pressa, mas quero mesmo é fazer voltarem os ponteiros. Que eles andem para trás e me devolvam a mim mesmo. Anseio por um tempo em que não pensava tanto, em que não eram tantas as angústias...tempo no qual tudo era apenas leve e divertido. Um tempo em que achava que ser bom seria a garantia de encontrar um caminho qualquer que levasse ao destino que todos estão buscando nesse mundo: a tal da felicidade.
Voltem, ponteiros! Invertam esse itinerário esquizofrênico e interrompam essa sequência de roubos, na qual cada passo que vocês dão significam um a menos em minha caminhada. Devolvam minha tranquilidade, minha paz, meu olhar inocente para tudo e todos. 
E, por favor, devolvam a minha capacidade de sonhar que há esperança. E que faz algum sentido crer, lutar, sentir, sofrer e buscar tanto aquelas quatro letras...
Postar um comentário